segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Combate à tuberculose inclui diagnósticos inovadores, proteção social e pesquisa de novos medicamentos

Atenção para diagnósticos inovadores, proteção social aos atingidos e fortalecimento da pesquisa básica para a adoção rápida de novos medicamentos contra a tuberculose são os assuntos que deverão nortear os debates do VII Meeting of the Slamtb (Sociedad Latinoamericana de Tuberculosis y otras Micobacteriosis). Essas prioridades foram definidas pela Organização Mundial da Saúde para serem priorizadas a partir de 2015.
O evento está sendo realizado em Canela/RS até quarta-feira (17) e discute o controle e o tratamento da tuberculose, com apoio da Fundação Estadual de Produção e Pesquisa em Saúde – Fepps. No domingo, na abertura do evento, o presidente da Slamtb, Pedro Eduardo Almeida da Silva, defendeu soluções como vacinas mais eficazes, diagnósticos eficientes e tratamentos que não necessitem de períodos longos, evitando que os doentes abandonem o processo de cura. Segundo ele, 1,3 milhão de pessoas morrem todos os anos no mundo infectadas pela tuberculose, “mesmo que o bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis) já tenha sido descoberto há 132 anos”.
A diretora-presidente da Fepps, Irene Porto Prazeres, afirmou que os gestores da saúde pública do Rio Grande do Sul estão engajados no esforço nacional para assegurar a atenção especializada no diagnóstico e tratamento da tuberculose. Segundo Irene, o congresso na Serra Gaúcha é um espaço de convergência e articulação para o controle da doença. Na Fepps, pesquisas avançadas são o foco do Centro de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CDCT.
A coordenadora estadual da área, Carla Jarczewski, da Secretaria Estadual da Saúde, afirmou que a meta é retomar os 90% de cura da tuberculose obtidos pela saúde pública do Estado nas décadas de 1970/1980.
A tuberculose é uma doença que afeta vários órgãos dos corpos, principalmente os pulmões. É transmitida pelo ar quando o paciente tosse, fala ou espirra. Porto Alegre é a capital brasileira com o maior número de casos. No RS, o aumento na incidência foi observado a partir de 1993. Na capital gaúcha, a prevalência da coinfecção juntamente ao HIV é superior a 30%, de modo que hoje a tuberculose é a principal causa de morte dos pacientes com aids.
O congresso da Slamtb e o IV Workshop Nacional da Rede TB (evento paralelo) reúnem mais de 80 palestrantes – 31 internacionais, além de 350 inscritos de 17 países e de 20 estados brasileiros. Foram submetidos 200 resumos, que serão apresentados nas formas de pôster e oral.
A Slamtb é uma sociedade científica internacional de professores, pesquisadores, clínicos, profissionais de saúde pública, gestores e estudantes, com a finalidade de trocar experiências e desenvolver conhecimento sobre tuberculose, lepra e outras importantes micobacterioses.
Texto: Isabela Soares
Postado por:Elisete Bohrer

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens que talvez você não viu!!!