terça-feira, 24 de julho de 2018

Jornal Comunitário - Rio Grande do Sul - Edição 1542, do dia 25 de Julho de 2018

Edição 1542, do dia 25 de Julho de 2018
CLIQUE AQUI PARA BAIXAR:

OPÇÃO 01 IVOOX

OPÇÃO 02 DRIVE

Um Jornal Comunitário de edição colaborativa, produzido pelas emissoras de Rádios Comunitárias do Estado do Rio Grande do Sul, seja você um correspondente da sua região, entre em contato pelos telefones Whatsapp 54 9611 0186 ou 54 3367 1351.


NA EDIÇÃO DE HOJE:

Ato em São Paulo condena violência e celebra resistência das mulheres negras.
Defesa Civil do Rio Grande do Sul recebe mais de sete mil roupas e três toneladas de alimentos.
Chuvas prejudicam alimentação dos rebanhos gaúchos.
Polícia Federal investigará venda de ações do Banrisul a pedido do MPF.
Brasil é o país mais perigoso para ambientalistas.
Britânicos obtêm documentos sobre ineficácia dos mosquitos transgênicos.

+ Mais Informações ››››››

Jornal da Liberdade Edição 2035 de 24-07-2018

Edição completa do Jornal da Liberdade Clique AQUI
+ Mais Informações ››››››

1304 - 24 JULHO, TERÇA - O SENHOR É MEU PASTOR, NADA ME FALTA

+ Mais Informações ››››››

Defesa Civil do Rio Grande do Sul recebe mais de sete mil roupas e três toneladas de alimentos

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul ganhou um importante reforço para atender os municípios que necessitam de doações. Através de uma ação promovida em parceria entre Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Sescon/RS) e Conselho Regional de Contabilidade (CRC), com o apoio da operadora Vivo, mais de sete mil peças de roupas e três toneladas de alimentos foram repassadas durante a Campanha do Agasalho.

Apesar de a mobilização se encerrar no próximo mês, a entidade continua recebendo roupas e mantimentos durante todo o ano para atender as demandas do Estado. Durante pouco mais de um mês de arrecadações, o Sescon e o CRC conseguiram atingir a marca de 3.299 peças de roupas, que, somadas a outras cerca de 3,5 mil da operadora Vivo, superaram sete mil itens. As doações de alimentos também foram significativas, chegando a 3,367 toneladas.

Para o presidente do Sescon-RS, Célio Levandovski, as ações sociais já são algo sistêmico para a entidade, que, ao somar esforços com o CRC, conseguiu multiplicar os resultados. De acordo com ele, uma das formas de se conseguir uma quantidade tão expressiva de doações veio através das atividades do Sindicato. Em vez de cobrar entrada para seus eventos, os participantes eram convidados a fazer doações de alimentos como forma de ingresso.

Levandovski explicou também que o Sescon/RS costuma concentrar um mês de ações sociais geralmente entre novembro e dezembro, mas, este ano, em função dos temporais que se abateram sobre o Estado, resolveu antecipar o período.

A presidente do CRC, Ana Tércia Lopes Rodrigues, disse que a doação de ontem, de certa forma, era como um complemento do ofício dos profissionais da contabilidade, que, diferente do que se possa pensar, é uma ciência social e não exata. “O trabalho feito de maneira correta tem que repercutir positivamente no social”, explicou. Comentou também que, no controle adequado do uso de recursos da esfera pública, os trabalhadores da área também mostram seu compromisso com a sociedade.

Na visão dela, a categoria como um todo, formada por mais de 40 mil pessoas, tem uma influência e um potencial multiplicador muito grande na hora de aderir a causa como a de arrecadação de agasalhos e alimentos, que teve um momento simbólico na entrega na manhã desta segunda. Presente no ato de entrega dos materiais, a secretária de Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos, primeira-dama Maria Helena Sartori, disse que as doações simbolizavam a solidariedade dos gaúchos.

“Com certeza, vai ajudar as comunidades que precisam”, disse. Salientou ainda que a Campanha do Agasalho termina em agosto, porque se faz um apelo maior à solidariedade nesse período de frio, mas lembrou que a Defesa Civil permanece recebendo doações o ano inteiro. “É um gesto de muito envolvimento com as causas sociais. Isso é louvável”, destacou o representante da Defesa Civil estadual, tenente-coronel Roberto do Canto Wilkoszynski, que disse que tão logo os itens chegavam à Central de Doações, já começavam a ser enviados aos municípios que necessitam.

De acordo com ele, as principais necessidades no momento são roupas infantis e alimentos. Além dessas doações, são aceitas roupas de maneira geral, cobertores e calçados – todos em condições de uso. Materiais de limpeza e higiene pessoal também podem ser doados. Os locais são a Central de Doações (avenida Borges de Medeiros, 1501, no Centro Administrativo Fernando Ferrari), quartéis da BM e dos Bombeiros e toda a rede Zaffari.

Fonte: Correio do Povo
+ Mais Informações ››››››

Mais de 6 mil postos de trabalho com carteira assinada foram fechados no mês de junho no RS, diz pesquisa

Em Porto Alegre e na Região Metropolitana também houve queda na oferta de emprego com carteira assinada, segundo dados do Observatório Unilasalle. Mesmo com variações negativas na maioria dos setores, em 2018 saldo ainda é positivo no estado.
Em junho deste ano, foram fechados 6.521 postos de trabalho no Rio Grande do Sul, o que representa uma queda de 0,26% na oferta de emprego com carteira assinada em relação ao mês anterior, segundo dados divulgados na sexta-feira (20) pelo Observatório Unilasalle, que pesquisa a situação do mercado de trabalho formal no Brasil.

O levantamento tem como fonte os registros administrativos do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (CAGED) disponibilizados pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Em todo o estado, o setor que mais encerrou postos de trabalho foi o comércio, com a redução de 2.132 vagas. Já o setor que mais abriu oportunidades em junho foi o de serviços, com aumento de 429 vagas.

Mesmo com variações negativas na maioria dos setores, em 2018 o saldo ainda é positivo no Rio Grande do Sul. Ao longo do primeiro semestre, foram criadas 26.355 vagas com carteira assinada.

De janeiro a março, o estado ampliou vagas, mas a partir do mês de abril o saldo vem sendo negativo, conforme o professor e coordenador do Observatório Unilasalle, Moisés Waismann.

"Estamos oscilando neste primeiro semestre, mas frente ao cenário econômico que atravessamos, a situação ainda está boa", diz. Segundo ele, a expectativa é que para o segundo semestre postos voltem a ser criados no período das festas de fim de ano.

Fonte: G1/RS
+ Mais Informações ››››››

Polícia Federal investigará venda de ações do Banrisul a pedido do MPF

Inquérito ficará a cargo da Delegacia de Combate à Corrupção e aos Crimes Financeiros. Outros órgãos também instauraram procedimentos de investigação após denúncias de irregularidades na transação. O Banrisul vendeu dois lotes de ações neste ano.
A Polícia Federal instaurou um inquérito para investigar a venda de ações do Banrisul, após pedido do Ministério Público Federal, encaminhado no dia 5 de julho. A apuração ficará a cargo da Delegacia de Combate à Corrupção e aos Crimes Financeiros.

Além disso, o Ministério Público de Contas (MPC) do RS solicitou ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) a abertura de uma inspeção especial sobre a transação financeira. O pedido será analisado pela presidência do órgão, e caso a inspeção seja instaurada, técnicos do Tribunal serão designados para produção de um relatório. Não há prazo para a conclusão do trabalho.

Outros dois órgãos já investigam a venda das ações do banco estadual: o Ministério Público do Rio Grande do Sul e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), após denúncias encaminhadas por entidades ligadas a bancários.

Em abril deste ano, o Banrisul vendeu ações em dois lotes: um no dia 10, em que foram negociados papéis preferenciais (sem direito a voto), e outro no dia 27, das ações ordinárias (com direito a voto). No primeiro, foram arrecadados quase R$ 485 milhões. Já no segundo, o valor obtido foi de R$ 52,5 milhões.

No ano passado, o governo anunciou a venda de até 49% das ações ordinárias do banco, negociação que chegou a ter o aval do presidente Temer. Porém, semanas antes dos leilões, o Piratini informou que tinha desistido da operação.

O Banrisul, através de nota, informou que aguarda notificação oficial e que reitera as informações contidas em Fato Relevante publicado no dia 11 de julho de 2018, no qual informa que os dois leilões aconteceram de acordo com as normas da CMV e que o estado segue acionista majoritário do banco.

Fonte: G1/RS
+ Mais Informações ››››››

Taxa de cobertura de vacinação cai mais de 20% em cinco anos no Rio Grande do Sul

Uma das explicações para o fenômeno verificado em todo o país são notícias falsas. Ministério Público gaúcho alerta para o risco dos pais perderem a guarda das crianças.
Foto: Cristine Rochol/PMPA
A taxa de cobertura de algumas vacinas caiu mais de 20% no Rio Grande do Sul nos últimos cinco anos. Os números são da Secretaria Estadual de Saúde, referentes às vacinas que fazem parte do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde.

Uma das explicações para essa queda, segundo a Secretaria Estadual da Saúde, é a proliferação de notícias falsas que espalham rumores sobre doenças ou efeitos colaterais. O Ministério Público do Rio Grande do Sul, inclusive, já fez alerta de que os pais podem até perder a guarda dos filhos, caso deixem de imunizar as crianças.

Os números no Rio Grande do Sul mostram que a maior queda na vacinação aconteceu na aplicação da tríplice viral, que imuniza contra sarampo, rubéola e caxumba, e é aplicada quando a criança atinge 12 meses de idade.

Em 2013 a meta de imunizações para a tríplice viral foi superada, chegando a 105,65% do previsto. Quatro anos depois, em 2017, esse percentual havia caído para 83,14%. Os dados do ano passado ainda são considerados preliminares, mas foi a maior queda de imunizações no período entre as que fazem parte do Programa Nacional de Imunizações.

A segunda maior queda de imunizações no Rio Grande do Sul foi verificada nas aplicações da vacina Penta, que protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite b e também contra a bactéria Haemophilus influenzae tipo b (Hib). As doses devem ser aplicadas quando a criança tiver dois, quatro e seis meses de idade, com dois reforços aos 15 meses, e também aos quatro anos.

Em 2013 a meta para a Penta foi superada, atingindo 101,01% da cobertura prevista. Quatro anos depois, a vacinação atingiu apenas 79,57% do público alvo.

Fake news
"Esse movimento de afastamento e desinteresse tem como fatores a não ocorrência recente de algumas doenças no Brasil assim como notícias falsas e campanhas mal informadas”, afirmou na semana passada o secretário de Saúde do Rio Grande do Sul, Francisco Paz, durante lançamento da campanha de vacinação contra a pólio e sarampo.

O Ministério Público do Rio Grande do Sul também aderiu ao combate contra as notícias falsas com um vídeo no qual alerta os pais de que a falta de vacinação das crianças pode ser enquadrada como violação do Estatuto da Criança e do Adolescente, que pode resultar até na perda da guarda dos filhos.

Um dos exemplos da volta de doenças é o sarampo, que não tinha casos registrados desde 2015, mas já causou três mortes no Norte do país. No Rio Grande do Sul foram confirmados, 13 casos importados.

Dados divulgados pela Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul mostram que a segunda dose da vacina tetraviral, aplicada aos 15 anos de idade, contra sarampo, caxumba, rubéola e varicela, chegou a 58,7% de cobertura, bem menos que os 87% atingidos em 2016.

Fonte:G1/RS
+ Mais Informações ››››››

Garoto que teve cérebro perfurado por espeto na BA continua enxergando e quer voltar para casa

Menino passou por cirurgia e segue em observação em hospital, na cidade de Itabuna. Acidente ocorreu durante o fim de semana, em Santa Luzia, também no sul do estado.
O garoto de 8 anos que teve o cérebro perfurado por um espeto de churrasco enquanto brincava na porta de casa, na cidade de Santa Luzia, no sul da Bahia, passa bem após a cirurgia de retirada do objeto do crânio.

De acordo com informações divulgadas nesta segunda-feira (23) pelos médicos que cuidam do pequeno Rian Santos, o paciente teve uma boa recuperação e não apresenta problemas na visão.

O garoto segue internado no Centro de Tratamento e Terapia Intensiva (CTI) do Hospital Manoel Novaes, em Itabuna, também no sul do estado. O estado de saúde dele é estável.

"Graças a Deus a criança está muito bem, estável, falando, mexendo os dois bracinhos e enxergando, inclusive. Aparentemente, com uma pequena lesão no nervinho que fica entre a pupila e a pálpebra, que está dentro desse seio cavernoso, que também é passível de recuperação, nos próximos três meses", contou o neurocirurgião Diogo Henrique Oliveira.

A mãe de Rian, identificada como Marinalva Santos, contou que o desejo do garoto é voltar para casa.

O menino perfurou o cérebro após tropeçar e cair sobre o espeto de churrasco com o qual brincava, no domingo (22). O objeto atingiu o olho dele. A mãe do garoto viu o momento do acidente.

"Eu vi quando ele escorregou. E, quando ele levantou, já estava com o espeto grudado no olho. No momento, o que passou na minha cabeça, eu me desesperei e achei que meu filho iria morrer", relatou Marinalva.

Após ter o cérebro perfurado, Rian foi levado para o Hospital Calixto Midlej Filho, em Itabuna. Após cirurgia, ele foi transferido para a outra unidade de saúde.

Uma foto do raio-x da face da criança foi divulgada pelo hospital e mostra a posição que o espeto ficou na cabeça do garoto.

"O objeto atingiu uma das áreas mais nobres que existem no cérebro da gente, que é o tronco encefálico. É uma área muito pequena, de poucos centímetros que controla todos os nossas funções vitais, como batimentos cardíacos, mobilidade do corpo... um quadro de gravidade extrema, que a gente tinha que tentar reverter, sem acrescentar nenhum déficit", contou o neurocirurgião Diogo Henrique Oliveira.

Fonte: G1/BA
+ Mais Informações ››››››

Quatro irmãos são encontrados mortos na zona rural de Pinhão-PR, diz PM

Corpos foram achados na tarde desta segunda-feira (23) em um carro abandonado em uma estrada rural do município da região central do Paraná. Uma das vítimas tinha 12 anos.
Quatro irmãos foram encontrados mortos na tarde desta segunda-feira (23) na zona rural de Pinhão, na região central do Paraná, de acordo com a Polícia Militar (PM). As vítimas, que estavam em um carro abandonado em uma estrada rural, tinham 12, 25, 27 e 33 anos, segundo a polícia.

Conforme a PM, técnicos da Copel - que faziam manutenção da rede elétrica entre as localidades de Faxinal dos Ferreiras e Poço Grande - encontraram o carro com os corpos. Segundo a polícia, os irmãos foram mortos com tiros de espingarda calibre 12 e revólver calibre 38.

A PM informou que não foram encontradas armas de fogo no local, apenas estojos vazios e alguns projéteis. No carro onde estavam os irmãos havia coldres de revólveres e facões, conforme a polícia.

Ainda de acordo com a PM, as vítimas eram conhecidas por causa de conflitos por disputa de terras com outros moradores da região. Os quatro moravam na localidade de Faxinal dos Albinos.

Segundo a polícia, ainda não foram localizados suspeitos do crime

Os corpos foram levados ao Instituto Médico-Legal de Guarapuava, também na região central do estado. A Polícia Civil investiga o caso.

Fonte: G1/PR
+ Mais Informações ››››››

Força Nacional continuará no Rio Grande do Sul por mais 180 dias

A Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) vai permanecer no Rio Grande do Sul por mais 180 dias. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (23) pelo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, ao governador José Ivo Sartori, em Brasília. A decisão deve ser publicada no Diário Oficial da União (DOU) nos próximos dias. Também participou da audiência o procurador-geral do Estado, Euzébio Ruschel.

O secretário da Segurança Pública, Cezar Schirmer, avaliou positivamente a manutenção da FNSP no Estado. Para ele, a corporação representa um diferencial estratégico em Porto Alegre, atuando de acordo com as diretrizes do Plano Nacional de Segurança Pública. “A parceria com o governo federal tem sido muito importante nas ações desenvolvidas na capital. O reforço dos agentes da FNSP permite que o efetivo da Brigada Militar seja direcionado para outros pontos, o que aumenta a nossa capacidade de pronta resposta”, observou.

Fonte: AuOnline
+ Mais Informações ››››››

Postagens que talvez você não viu!!!