sábado, 28 de setembro de 2013

Brasil prepara plano de expansão agrícola


Lideranças se reunirão para apresentar plano de ação para atender metas definidas pela FAO

Com os olhos mirando a perspectiva de aumento substancial da demanda por alimentos no mundo até 2050 – quando a população mundial chegará aos 9 bilhões de habitantes e haverá necessidade de oferta de 3 bilhões toneladas de grãos – líderes de organizações agrícolas reúnem-se em São Paulo, no próximo dia 10, para definir um plano de ação capaz de colocar o Brasil no topo da produção de alimentos e, consequentemente, em condições de atender a parte desse consumo. Estudo da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), uma das organizadoras do evento “Desafio 2050: Unidos para Alimentar o Planeta”, abona essa pretensão ao apontar o Brasil como o único país capaz de ampliar a própria produção em 40% até lá. O mesmo estudo, feito com base em fatores territoriais, climáticos e sociais, diz que Estados Unidos, China e Índia, nações cujos índices de produção de hoje são superiores aos do Brasil, têm capacidade de expansão de apenas 10% no período.

Representante da FAO no Brasil, o engenheiro agrônomo Alan Bojanic disse que do encontro sairá um documento que será emitido a título de “contribuição sugestiva” à presidente Dilma Rousseff e aos estados. “Vamos discutir nesse seminário técnicas que podem ser desenvolvidas ou aprimoradas, como manejo, tecnologias, sementes de boa qualidade, fertilização orgânica, enfim, um conjunto de ações que podem ser adotadas para ampliar a fronteira da produtividade”, comentou. “O fundamental, entretanto, é que o governo promova o assunto, definindo-o como uma questão de prioridade nacional. Tem muita terra que pode ser recuperada e aqui estou falando de milhões de hectares”, completou.

Além do aumento da produção, Bojanic destaca que o evento tem outro desafio: o de provocar uma reflexão sobre a fome no mundo. “Vamos aproveitar a presença dos produtores para ver de que modo o Brasil pode contribuir também para viabilizar acesso a alimentos a cerca de 875 milhões de indivíduos que sofrem diariamente com a privação de comida”, afirmou, antes de acrescentar que a maioria dessas pessoas mora no continente africano e na Índia.

Presidente da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), Luiz Carlos Carvalho está convencido de que o alimento necessário para atender à crescente demanda mundial só pode vir do Brasil. Para justificar a crença, cita a robusta fonte de recursos hídricos do país e o “enorme” volume de terras improdutivas. “Para te dar uma ideia do nosso potencial, só com irrigação nós dobraríamos a produção”, frisou. “Mais: à exceção do Brasil, nenhum outro país do mundo apresentou ganho de produtividade nos últimos anos. Ou seja, estão na contramão do aumento da demanda que já estamos vivendo, pelo aumento da população urbana e, principalmente, pelo aumento do poder aquisitivo da população”, completou.

Carvalho ponderou, contudo, que há obstáculos logísticos graves que precisam ser superados para que o produtor se sinta instigado a investir. “A precariedade das estradas, a falta de ferrovias e o alto custo de transporte são adversários desse desafio. Pense: para que um produtor vai querer aumentar a produtividade se depois vai perder grande parte dela no escoamento? Estamos próximos do caos. Nos últimos dez anos, a produção mais que dobrou, enquanto a logística praticamente estagnou”, disse.


Fonte:Arthur Machado / Correio do Povo
Postado por:Elisete Bohrer
+ Mais Informações ››››››

Cadastro Ambiental quer mapear propriedades rurais do país em dois anos

Ministra do Meio Ambiente participou do lançamento do CAR no Rio Grande do Sul

O Cadastro Ambiental Rural (CAR) foi lançado neste sábado no Rio Grande do Sul pela ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, na sede da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag). O evento contou com a presença de dezenas de agricultores familiares, do governador Tarso Genro e de representantes da agricultura empresarial do Estado. O Ministério do Meio Ambiente colocou como meta o mapeamento de todas as propriedades rurais do país, incluindo as Áreas de Preservação Permanente, em até dois anos, a partir de dezembro deste ano. Como principal sanção, os agricultores rurais não poderão contrair novos financiamentos agrícolas.

O cadastramento vai permitir que políticas públicas sejam implementadas e que as regiões devastadas passem por recuperação, segundo a chefe da pasta. “As áreas que foram degradadas no passado poderão ser recuperadas a partir do cadastro ambiental e poderemos estabelecer uma estratégia por estado e bioma a fim de promover a recuperação da vegetação desmatada. Estamos fazendo um trabalho no Ministério priorizando os municípios com índice maior de desmatamento”, destaca Izabella Teixeira.

Todos os estados deverão disponibilizar programas próprios ou utilizar a ferramenta disponibilizada pelo governo federal para a realização do cadastro. Mais de 4 mil sindicatos e entidades rurais também se filiaram ao ministério para prestar apoio técnico ao produtores que tiverem dificuldade com o fornecimento de dados como as coordenadas georreferenciadas. “Os agricultores já podem procurar os sindicatos rurais nos próximos dias ou inserir os dados no site do CAR”, resume presidente da Fetag, Elton Weber.

O cadastro foi criado em 2012 no âmbito do Sistema Nacional de Informação sobre o Meio Ambiente e se constitui como base de dados estratégica para o controle, monitoramento e combate ao desmatamento das florestas.

Fonte: Samantha Klein / Rádio Guaíba

Postado por:Elisete Bohrer
+ Mais Informações ››››››

Chuva volta ao Rio Grande do Sul neste sábado

Instabilidade vai atingir maioria das regiões, mas volumes devem ser baixos

Após três dias de trégua, a chuva volta ao Rio Grande do Sul neste sábado. A instabilidade deve atingir a maioria das regiões e começa cedo em alguns locais, desde a madrugada.

A chuva deve ser mais generalizada entre a manhã e tarde, mas os volumes, no geral, serão baixos. A nebulosidade que começou a aumentar nesta sexta predomina no Estado neste sábado.

Devido às pancadas fortes, alguns pontos podem ter acumulados de chuva mais altos (acima de 50 mm), sobretudo da Metade Norte. A temperatura pouco varia e faz mais frio à noite, quando o tempo já estará seco em muitos pontos. Em Porto Alegre, a mínima deve ser de 12ºC e máxima não passa dos 17ºC. Em São José dos Ausentes, a previsão é de mínima de 7ºC. Já a temperatura pode chegar a 20ºC em Uruguaiana, na Fronteira Oeste.Para Três Palmeiras a previsão é de chuva durante todo este sábado.


Fonte: MetSul
 Postado Por: Alcione Gondorek
+ Mais Informações ››››››

Presidente da Petrobras descarta aumento na gasolina

Presidente da Petrobras descarta aumento na gasolina<br /><b>Crédito: </b> Arquivo/ABr/CP Graça Foster alertou que existe defasagem e que preços foram planejados para o dólar a R$ 2

Presidente da Petrobras descarta aumento na gasolina
Crédito: Arquivo/ABr/CP
A presidente da Petrobras, Graça Foster, garantiu nesta sexta que o preço dos combustíveis não vai subir. Ela se reuniu, em Brasília, com a presidenta Dilma Rousseff e o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, mas disse que o assunto não foi tratado no encontro.

Graça conversou com os jornalistas no Rio, durante as comemorações dos 60 anos da empresa. Segundo ela, apesar da defasagem no preço do petróleo, os combustíveis não vão ficar mais caros no curto prazo. “Trabalhamos pela convergência de preços, mas existe uma defasagem que voltou a crescer nos últimos três dias."

A presidente da Petrobras explicou que os preços foram planejados para o dólar a R$ 1,98, depois a R$ 2, mas agora a moeda americana está na faixa de R$ 2,26. "Então, torcemos para que o dólar chegue próximo de R$ 2, que vai dar um resultado muito bom”, disse Graça Foster.
Fonte: Agência Brasil
Postado Por: Alcione Gondorek
+ Mais Informações ››››››

Postagens que talvez você não viu!!!