segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Três Palmeiras - Palestra do União Faz a Vida Sicredi dá inicio ao ano letivo

Durante esta segunda feira nas dependências do Centro de Eventos de Três Palmeiras, foi dado o inicio do Calendário Educacional, na ocasião houve palestras e atividades envolvendo os professores do nosso município, e pela parte da tarde houve uma importante palestra com o Coordenador da Fundação Sicredi União Faz a Vida, Professor Marcos Schwingler, que esteve em nossa cidade falando o Programa e a importância deste para as atividades educacionais das crianças.
Confira a seguir o áudio da palestra:

Palestrante Marcos.

Presidente Sicredi Saul.

Gerente Sicredi Rudi.

Professora Lenir.

Professora Loivani.

Abertura Palestra Professora Dani.

Palestra Parte 01

Palestra Parte 02

Palestra Parte 03

Palestra Parte 04

Palestra Parte 05

Palestra Parte 06

Palestra Parte final




Reportagem, fotos, edição e postagem: Eloidemar Guilherme
+ Mais Informações ››››››

Tempo firme predomina até quarta no RS

Na quinta, frente fria provoca chuva

O sol predomina nesta terça-feira no Rio Grande do Sul. A temperatura à tarde sobe mais, oscilando entre 33ºC e 34ºC na região Metropolitana de Porto Alegre. O tempo firme segue até a quarta-feira. Na quinta-feira, frente fria provoca chuva.
Fonte: Rádio Guaíba
Postado Por: Alcione Gondorek
+ Mais Informações ››››››

Curiosidades: Formiga brasileira pode ser o primeiro inseto capaz de neutralizar veneno

Desde o ano passado, algumas regiões dos Estados Unidos
vêm sofrendo com o crescimento da população das formigas
invasivas da espécie Nylanderia fulva. Nativas do Brasil e da
Argentina, as formigas receberam o nome de "Raspberry crazy
ants" nos Estados Unidos, em referência a Tom Raspberry, que
foi quem descobriu o problema em 2002.
Além de causar prejuízos por causa do ataque a aparelhos
eletrônicos, essa espécie está interferindo diretamente no
ecossistema da região. Isso fez com que Ed LeBrun e sua equipe da Universidade do Texas começassem a estudar a espécie na tentativa de combatê-la.
A descoberta mais recente – que foi divulgada no site da instituição – é que as formigas brasileiras podem ser a primeira espécie a conseguir neutralizar o veneno de outra espécie. Os pesquisadores chegaram a essa
conclusão depois de analisar a interação das N. fulva com as formigas-de-fogo (Solenopsis sp.), uma espécie dominante da região por seu veneno letal.

 Ácido fórmico

Ao analisar o comportamento das formigas, os pesquisadores observaram que, depois de entrar em contato com uma formiga-de-fogo, os exemplares de N. fulvasecretavam ácido fórmico através de uma glândula que fica na ponta do seu abdômen, transferiam a substância até a boca e espalhavam em todo o corpo.
Para testar a efetividade do ácido fórmico, os pesquisadores bloquearam as glândulas das formigas com esmalte e as colocaram em contato com a espécie venenosa. Sem poder aplicar a substância no corpo, cerca de 50% dos insetos morreram. Em um segundo experimento, as formigas que se desintoxicavam com o ácido fórmico tinham uma taxa de sobrevivência de 98%.
Os pesquisadores acreditam que essa capacidade seja o resultado de um longo processo evolutivo. Eles ainda não sabem explicar como o ácido fórmico neutraliza o veneno, mas acreditam que esse possa ser um recurso para que a substância letal não penetre no exoesqueleto da formiga.

Fonte: Megacurioso
Postado por:Claudinara Glienke
+ Mais Informações ››››››

Consumir iogurte pode ajudar a reduzir o risco de diabetes tipo 2, diz estudo

Alto consumo de laticínios com pouca gordura como queijo fresco e cottage também protege contra a doença

Um estudo desenvolvido na Universidade de Cambridge, no Reino Unido, trouxe uma boa notícia para os amantes do iogurte: um pote de 125g do alimento a cada dois dias pode reduzir em 28% os riscos de desenvolver diabetes tipo 2. Ainda segundo a pesquisa, o alto consumo de laticínios com pouca gordura como queijo fresco e cottage também protege contra a doença.
Os pesquisadores compilaram dados de toda a alimentação diária durante uma semana de mais de quatro mil participantes, incluindo 753 que tinham desenvolvido diabetes tipo 2, ao longo de 11 anos. Aqueles com alto consumo de produtos fermentados com pouca gordura tiveram 24% menos probabilidade de se tornar diabéticos.
Examinando o iogurte separadamente, uma redução de 28% do risco de diabetes tipo 2 foi associada, com a maioria dos benefícios encontrados com o consumo de quatro potes e meio de iogurte por semana.
— Em tempos em que temos muitas evidências de que o consumo de grandes quantidades de determinados alimentos fazem mal à saúde, como açúcar e bebidas artificialmente adoçadas, é reconfortante saber que outros alimentos podem fazer bem — disse Nita Forouhi, do Conselho de Pesquisa Médica e Epidemiologia.
O estudo foi publicado na revista "Diabetologia" e não encontrou a causa da relação do consumo de iogurte e o baixo risco de diabetes. Isso significa que as pessoas com este hábito alimentar podem, também, ter um estilo de vida saudável, o que contribuiria para a redução no risco.
Mas os pesquisadores dizem que é possível que os probióticos e uma forma especial de vitamina K dos iogurtes, associados à fermentação dos laticínios, fornece proteção contra o diabetes. Laticínios, afinal, são uma fonte rica de proteína de alta qualidade, vitaminas e minerais.
O estudo afirma que iogurtes devem ter teor de gordura inferiores a 3,9%.
Fonte:Bem Estar
Postado por:Claudinara Glienke
+ Mais Informações ››››››

Combinação de chocolate com morango atua contra o diabetes

A mistura é rica em flavonoides, compostos ligados à coloração de frutas e vegetais e capazes de reduzir os níveis de glicose no sangue

Com doçura, é possível prevenir o diabetes 2. Pesquisadores ingleses encontraram no chocolate substâncias naturais que regulam a quantidade de açúcar no sangue — um desequilíbrio nesse processo caracteriza a doença crônica que, só no Brasil, afeta mais de 12 milhões de pessoas. Muitos outros alimentos têm essa capacidade, indica o estudo publicado no Journal of Nutrition. O segredo está nos flavonoides, moléculas que conferem cor a frutas e vegetais e são ingeridas quando se consomem delícias como cacau, morango, vinho e frutas vermelhas.
Desde a década de 1930, quando o fisiologista e Nobel da medicina Albert Szent-Gyorgyi descobriu esses compostos, já se constataram inúmeros benefícios nos mais de 6 mil flavonoides existentes nos alimentos. Eles fazem bem ao coração, previnem Parkinson, lutam contra o câncer, combatem a obesidade, reduzem o estresse, entre outros. Isso tudo graças aos poderes antioxidantes, que evitam inflamações e danos celulares provocados pelos radicais livres.
De acordo com Aedin Cassidy, pesquisadora da Universidade de East Anglia e principal autora do artigo, há tempos desconfiava-se que alguns tipos de flavonoides poderiam também evitar a resistência à insulina — a propriedade benéfica já havia sido, inclusive, constatada em tubos de ensaio. Agora, um estudo de larga escala realizado na Inglaterra confirmou a tese. A pesquisa incluiu dados de 2 mil mulheres, com idade entre 18 e 76 anos e voluntárias do projeto TwinsUK Registry, que reúne informações sobre saúde de gêmeos para investigações a respeito de doenças crônicas e genéticas.
Vermelho e azul na dieta indicam mais benefícios para a saúde
As participantes completaram um questionário de 131 itens, fornecendo informações detalhadas sobre os hábitos alimentares. A partir das respostas, os cientistas estabeleceram os tipos mais comuns de flavonoides que elas consumiam e em quais quantidades. As mulheres também fizeram exames de resistência à insulina. A comparação de dados mostrou que as que consumiam mais de quatro porções ricas em um tipo específico de flavonoides apresentavam concentrações 20 vezes menores de glicose no sangue do que aquelas cuja dieta não incluía alimentos ricos nessas substâncias.
A classe de composto mais benéfica no combate ao diabetes 2 foi a das antocianinas, corante responsável pelos tons vermelhos e azuis de vegetais como berinjela, feijão preto, uva, gojiberry, cereja, ameixa, mirtilo, morango e framboesa.
Outro alimento rico em antocianina é o cacau do tipo forasteiro, encontrado no chocolate amargo.
Inflamações
A associação entre o flavonoide e a prevenção de diabetes não se limitou a comparações e estatísticas. Os cientistas também retiraram amostra de sangue das voluntárias e descobriram que, entre aquelas que consumiam frequente e abundantemente vegetais com antocianina, a quantidade de biomarcadores inflamatórios envolvidos na regulação da glicose e da insulina era menor.
— Juntas, as descobertas fornecem evidências fortes de que as antocianinas são substâncias que podem prevenir o risco de diabetes 2 — observa Cassidy.
Ela destaca que, pelo fato de processos inflamatórios em nível celular estarem por trás de todas as doenças crônicas, como câncer e problemas cardiovasculares, a ingestão dos compostos naturais também pode evitar o surgimento desses males.
— São resultados de grande importância para a saúde pública porque, para alcançá-los, não é preciso muita coisa, basta incluir esses alimentos na dieta — avalia Tim Spector, pesquisador do King's College de Londres e colaborador do estudo.
Fonte:Bem Estar
Postado por:Claudinara Glienke
+ Mais Informações ››››››

JORNAL DA LIBERDADE EDIÇÃO DO DIA 17-02-14


Postado Por: Alcione Gondorek

+ Mais Informações ››››››

Mulher afirma ter matado mais de 20 pessoas nos EUA

Jovem de 19 anos confessou que assassinou homem a facadas em novembro

Uma mulher detida na Pensilvânia por assassinato afirmou ter matado mais de 20 pessoas em vários estados americanos, informa neste domingo a reportagem de um jornal local. Miranda Barbour, de 19 anos, disse ao jornal Daily Item de Sunbury, Pensilvânia, que esfaqueou até a morte sua mais recente vítima, um homem de 42 anos, em novembro passado.

Ela contou que conheceu sua vítima por meio do site Craigslist e que concordou em fazer sexo com ele por cem dólares, mas depois o matou com a ajuda de seu marido. "Eu me lembro de tudo. É como ver um filme", comentou.

Barbour e seu marido, Elytte Barbour, foram acusados pelo assassinato do homem e estão presos em locais diferentes. A mulher, no entanto, afirma que esta morte é apenas uma de uma série de assassinato que cometeu ao longo dos anos, do Alasca ao Texas.

Indagada quantos assassinatos teria cometido, ela começou a fazer uma contagem que chegou aos 22, acrescentando que o número pode ser muito maior. A declaração da mulher levou os investigadores nos Estados Unidos a revisar vários assassinatos não resolvidos à procura de possíveis conexões.

Barbour disse que começou a assassinar aos 13 anos, depois de ter sofrido abusos sexuais quando era criança por parte de um homem que foi membro de uma seita satânica no Alasca.
Fonte: AFP
Postado por:Claudinara Glienke
+ Mais Informações ››››››

Chega a 1280 o número de salvamentos durante a Operação Golfinho

A maioria ocorreu no litoral Norte (1080), seguido de águas internas (105) e do litoral Sul (95)

Com 58 dias de Operação Golfinho, o número de salvamentos realizados no Rio Grande do Sul chega a 1.280, informou a Brigada Militar. A maioria ocorreu no litoral Norte (1080), seguido de águas internas (105) e do litoral Sul (95). A média é de 22,06 atendimentos por dia.

Duas mortes foram contabilizadas até agora, de banhistas que entraram no mar fora do horário de expediente dos salva-vidas. Gabriela Oliveira da Silva morreu em um posto de saúde depois de se afogar no balneário de Marambaia, em Arroio do Sal, no final de janeiro. O outro caso havia ocorrido no dia 1º, em Tramandaí. Róger Martins, de 16 anos, desapareceu ao entrar no mar nas primeiras horas da manhã.

As praias com maior número de casos de resgate até o momento foram Torres (198), Capão da Canoa (161), Tramandaí (122), Imbé Sul (103) e Arroio do Sal (79). As guaritas onde ocorreram mais afogamentos foram a 134, em Imbé Sul (54); a 76, em Capão da Canoa (38); a 145, em Tramandaí (29); a 11, em Torres (28); e a 09, em Torres (27).

Os bombeiros pedem que a população evite entrar no mar e rios após ingerir bebida alcóolica. Também advertem os banhistas a que fiquem atentos para as bandeiras e orientações dos salva-vidas: a vermelha significa mar perigoso; a amarela, risco no mar; a verde, banho com atenção; e a azul, criança encontrada.


Fonte: Rádio Guaíba
Postado por:Claudinara Glienke
+ Mais Informações ››››››

Estudo aponta relação entre tabagismo e câncer de mama

Chance de desenvolver a doença pode ser até 60% maior, segundo pesquisa

Uma pesquisa publicada nesta semana pelo periódico científico Cancer, da Sociedade Americana do Câncer, comprovou a ligação entre o consumo regular de tabaco e o tipo mais comum de câncer de mama em mulheres jovens. Os pesquisadores concluíram que pacientes com menos de 44 anos de idade que fumam pelo menos um maço de cigarro por dia, há pelo menos dez anos, apresentam 60% maior de risco para o desenvolvimento de tumores com receptor hormonal estrogênio positivo — que representa em torno de 80% dos casos de câncer de mama — em comparação com mulheres não fumantes.
O estudo, realizado no Centro de Pesquisa do Câncer Fred Hutchinson, de Seatle, avaliou 778 pacientes diagnosticadas com essa subclassificação da doença, além de 182 mulheres com o tipo denominado triplo negativo. Elas foram acompanhadas entre 2004 e 2010 e tinham entre 20 e 44 anos de idade.
— Apesar de ser um estudo que não envolve um grande número de pacientes, é um alerta sobre essa possibilidade, mas é difícil somente a partir dele obtermos uma comprovação definitiva. Por outro lado, sabemos que o cigarro talvez seja o carcinogênico mais importante de ser combatido e que aproximadamente um terço de todos os casos de câncer esteja relacionado ao tabagismo — avalia o coordenador do Centro de Prevenção do Câncer da Clinionco, Rafael Castilho Pinto.
— Os dados não alteram o tratamento do câncer em si, somente a recomendação de que as pacientes fumantes procurem um tratamento especializado para pararem de fumar, principalmente as mulheres que já apresentam outros fatores associados, o que pode aumentar em muito o risco para desenvolver a doença — ressalta a mastologista Kenia Melissa Borguetti.
Até então, era pouco conhecida a influência do tabaco sobre cada subtipo de câncer de mama, porém especialistas têm alertado cada vez mais sobre essa relação.
Fonte:Bem Estar
Postado por:Claudinara Glienke
+ Mais Informações ››››››

Postagens que talvez você não viu!!!