quinta-feira, 21 de março de 2019

Jornal Comunitário - Rio Grande do Sul - Edição 1712, do dia 22 de março de 2019

Edição 1712, do dia 22 de Março de 2019
CLIQUE AQUI PARA BAIXAR:

OPÇÃO 01 IVOOX

OPÇÃO 02 DRIVE

Um Jornal Comunitário de edição colaborativa, produzido pelas emissoras de Rádios Comunitárias do Estado do Rio Grande do Sul, seja você um correspondente da sua região, entre em contato pelos telefones Whatsapp 54 9611 0186 ou 54 3367 1351.


NA EDIÇÃO DE HOJE
Trabalhadores vão às ruas nesta sexta dizer não à 'reforma' da Previdência.
'Experimento da privatização da Previdência fracassou no mundo', afirma OIT.
Júri nos EUA considera que o glifosato, herbicida mais usado no Brasil, causa câncer.
Aneel quita empréstimo e vai reduzir tarifa de energia.
Brasil só recicla 1,28% do lixo que produz.
Brasil perde certificado de erradicação do sarampo.
+ Mais Informações ››››››

Em visita ao Presídio, mulher é presa com potes de doce recheados de maconha

Na manhã de quarta-feira(20), durante a visita aos apenados, no Presídio Estadual de Alegrete, uma mulher foi presa por tráfico de drogas.

A acusada, de 21 anos, foi flagrada com dois potes com doce, ‘recheados’ com maconha. O tráfico foi identificado no momento em que a mercadoria passou pelo scanner. Os agentes da Susepe visualizaram que em cada pote havia um ‘corpo estranho’. Dentro dos potes tinha a quantidade total de 103,8g de maconha.

A mulher foi presa em flagrante por tráfico de drogas e conduzida à DP, pela Brigada Militar, através do policiamento ostensivo com apoio da ROCAM.

A droga seria para o marido que cumpre pena por tráfico de drogas. O casal tem dois filhos de 5 anos e outro de 3 meses. Depois de ouvida, a acusada que, até o momento, não tinha passagens pela polícia, foi encaminhada ao Presídio Estadual de Alegrete. A droga foi apreendida.

Fonte: Alegrete Tudo
+ Mais Informações ››››››

Aluna ameaça realizar massacre em escola de Roca Sales

Reprodução Whatsapp
Algumas imagens que circularam pela aplicativo de bate papo WhatsApp nos últimos dias levaram professores da Escola Estadual de Educação Básica Padre Fernando procurar a Polícia Civil de Roca Sales.

Conforme conversas, uma aluna ameaçou realizar um massacre no educandário, tendo em vista estar sofrendo uma espécie de booling. No bate papo ela é questionada por outra pessoa: “E aí tá indo na escola ou tu não vai?”. E ela responde: Tô indo… vou faze o massacre amanhã”.

A jovem investigada, que está com cerca de 17 anos, compartilhou, pelo menos, uma foto empunhando uma arma de fogo com a legenda “pras talarica é bala”.

Um outro rapaz, possível amigo ou namorado da investigada também aparece em um dos compartilhamentos com uma arma de fogo e a legenda: “faze akele estrago amanhã na escola”. Conforme o delegado responsável pelo caso, Alex Assmann, ontem foi encaminhado o pedido e hoje autorizado o Mandado de Busca e Apreensão na casa onde a jovem mora com outras pessoas.

No local foi apreendida uma pistola 9mm e 31 cartuchos do mesmo calibre. Ainda, foi encontrada quantia de maconha. A jovem foi encaminhada à Polícia Civil para ser ouvida. Assmann destaca vai apresentar a adolescente para a promotoria que irá decidir sobre o pedido de internação provisória.

Foto: Polícia Civil


Fonte: Grupo Independente
+ Mais Informações ››››››

Ex-presidente Michel Temer é preso pela Polícia Federal

Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil
Após passar um dia tentando rastrear e confirmar a localização do ex-presidente Michel Temer (MDB), a Polícia Federal o prendeu, na manhã da quinta-feira (21). Temer é acusado de ser o “epicentro de um esquema que configurava um sistema institucionalizado de corrupção”, como definiu a procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

O caso investigado ficou conhecido como inquérito dos Portos. O ex-presidente foi denunciado em dezembro de 2018 pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro por integrar um suposto esquema para favorecer empresas específicas na edição de um decreto sobre o setor portuário.

O mandato de prisão de Temer foi expedido pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. O juiz também autorizou a prisão do ex-ministro de Minas e Energia, Moreira Franco.

Fonte: Sul21
+ Mais Informações ››››››

Programa 183 21-03-2019 CEL São Lucas da Vila Progresso - Jeremias 20.7


+ Mais Informações ››››››

Jornal da Liberdade Edição 2197 de 21-03-2019

+ Mais Informações ››››››

074 - 21 MARÇO, QUI - A FIDELIDADE A MIM E AO OUTRO

+ Mais Informações ››››››

UFRGS entra em alerta após ameaça de atentado

A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) entrou em estado de alerta após tomar conhecimento de ameaças de que um ataque aos moldes do que ocorreu em uma escola de Suzano (SP) possa ocorrer na instituição. A Reitoria confirmou nesta quarta-feira (20), por meio de nota, que acionou autoridades federais e estaduais preventivamente como medida para garantir as aulas possam continuar ocorrendo com segurança.

“A Universidade Federal Rio Grande do Sul, assim como algumas outras universidades brasileiras, recebeu informações de ameaça de atentado no Campus do Vale, semelhante ao ocorrido em Suzano, SP. Diante disso, a Universidade acionou, preventivamente, o setor de segurança da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), polícias Federal e Civil e o setor de inteligência da Brigada Militar e, ainda, reforçou sua segurança interna. A UFRGS tomou essas medidas a fim de proporcionar a manutenção de todas atividades no local com segurança e tranquilidade”, diz nota oficial da Reitoria da UFRGS.

A reportagem entrou em contato com a Superintendência da Polícia Federal no Rio Grande do Sul, que confirmou que foi acionada pela UFRGS. “A Polícia Federal recebeu a notícia por parte da UFRGS e está dando o devido tratamento à informação”, diz a PF em nota.

Dez pessoas morreram em um tiroteio na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na última quarta-feira (13). O ataque, realizado por dois ex-alunos do colégio, de 17 e 25 anos, foi planejado em um fórum de anônimos na internet. Um terceiro envolvido no planejamento do ataque, de 17 anos, foi preso nesta terça-feira (19).

Circulam entre grupos de alunos e professores reproduções de postagens, do mesmo fórum em que foi planejado o ataque de Suzano, em que um dos usuários — todos as postagens neste fórum são anônimas — anuncia que fará até o final do mês no Rio Grande do Sul o maior ataque que o Brasil já presenciou. Nas respostas, os demais usuários sugerem que o ataque seja realizado no Campus do Vale, da UFRGS, localizado na divisa de Porto Alegre com Viamão. O alvo principal das postagens são mulheres e negros.

O assunto foi discutido em reunião realizada na terça-feira (19) entre o reitor Rui Vicente Oppermann e diretores de unidades da universidade. Os representantes da universidade estão preocupados em não criar pânico a respeito das ameaças, mas acreditam que é preciso tomar precauções, especialmente porque ataques como o que ocorreu em Suzano podem ocorrer a qualquer hora e em qualquer lugar.

O Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFRGS postou nesta quarta-feira nas redes sociais uma nota intitulada “Quero estudar sem medo — contra a disseminação do ódio e do preconceito”. “Hoje, fomos surpreendidos com uma informação, ainda sem confirmação, de uma ameaça contra mulheres e negros na UFRGS, no Campus do Vale. Estamos em contato com a reitoria da UFRGS e autoridades responsáveis a fim de cobrar o reforço da segurança em todos campi da UFRGS, bem como de confirmar a informação dessa ameaça. Mesmo que seja apenas uma postagem, sem nenhuma conexão com a realidade, exigimos a investigação e que sejam responsabilizados os responsáveis. Antes de tudo, exigimos a segurança de toda comunidade acadêmica da Universidade, queremos estudar e trabalhar sem medo”, diz a nota.

Uma festa de estudantes prevista para esta quarta-feira no Campus do Vale foi cancelada.

Fonte: Sul21
+ Mais Informações ››››››

Resina de pinus pode ser alternativa econômica para o Alto Uruguai

A atividade vem sendo realizada por produtores de Erval Grande, Itatiba do Sul e Severiano de Almeida.

Na região do Alto Uruguai houve vários ciclos de plantio de plantas exóticas, como eucalipto e pinus, visando à diversificação de culturas e ao aumento de renda nas propriedades. Na região, começa a aparecer um mercado promissor para o produtor que cultiva o pinus da espécie Elliottii, com a extração da resina, que já despertou o interesse de empresas de São Paulo, Santa Catarina e Paraná. A atividade vem sendo realizada por produtores de Erval Grande, Itatiba do Sul e Severiano de Almeida.

De acordo com o engenheiro agrônomo e assistente técnico regional em Sistemas de Produção Vegetal da Emater/RS-Ascar, Luiz Angelo Poletto, na região do Alto Uruguai existem em torno de 500 mil a 1 milhão de árvores plantadas de pinus Elliottii.

Poletto observa que a resina é um produto importante para a indústria química, sendo utilizado na fabricação de tintas, vernizes, colas, ceras, perfumarias, adesivos, solventes e desinfetantes, entre outros produtos. A resina é comercializada, em média, a U$ 1,00 (um dólar o quilo). “Uma árvore pode produzir, em média, de 3 a 6 quilos de resina por ano, durante cinco a seis anos”, avalia.

No total, a região do Alto Uruguai tem cultivados 3.861 hectares com pinus e 17.731 hectares de eucaliptos. O projeto visa à produção de lenha e madeira (tora). Devido aos baixos preços da lenha, a maioria das florestas para lenha foi derrubada, ficando somente florestas manuseadas para a produção de toras.

A Emater/RS-Ascar nos últimos anos organizou eventos, como dias de campo, visando à qualificação dos produtores, com orientações técnicas de manuseio com práticas de desbaste e desrama.  Na área de produção de tora, as serrarias existentes são de pequeno porte. “No momento, os produtores aguardam a melhora de preço no mercado nacional, sabendo que o setor de exportação começa a melhorar”, avalia Poletto.

Fonte: AuOnline
+ Mais Informações ››››››

Chefe da Polícia Civil confirma ingresso de 426 novos escrivães e inspetores em julho

Distribuição de policiais levará em conta as cidades com maiores indicadores de criminalidade

Chefe de Polícia Civil, delegada Nadine Anflor, confirmou nesta terça-feira a chegada de 112 novas viaturas na primeira semana de abril e o ingresso de 426 novos escrivães e inspetores no dia 8 de julho deste ano. O anúncio foi durante palestra “Quebra de Paradigmas” durante a reunião-almoço MenuPOA no Palácio do Comércio, promovida pela Associação Comercial de Porto Alegre, onde abordou a participação das mulheres na instituição policial e o fato de ser a primeira a comandar a corporação em 177 anos de história.

Sobre os novos policiais civis, Nadine Anflor explicou que os critérios de distribuição de servidores levarão em conta as cidades com maiores indicadores de criminalidade. No entanto, as delegacias especializadas no atendimento de casos de homicídios também serão reforçadas. “Queremos continuar e aumentar ainda mais os índices de elucidação de homicídios”, justificou. “Outro enfoque serão os crimes patrimoniais”, acrescentou.

Capacitação diferenciada

Nadine quer uma maior atuação das Delegacia de Polícia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas, conhecidas como Draco, no Interior do Estado. A delegada Nadine Anflor citou, como exemplo, a centralização de informações e capacitação diferenciada dos servidores dessas unidades visando “a descapitalização do crime organizado” através da lavagem de dinheiro das organizações criminosas. Ela disse ainda que o feminicídio merecerá atenção especial.

Além das delegacias especializadas no atendimento das mulheres, a meta é que as delegacias de polícia de pronto atendimento tenham “espaço específico” para o recebimento das ocorrências e acolhimento das vítimas sobretudo nos plantões de 24 horas. “Geralmente a violência acontece nos finais de semana e de noite”, recordou. “Em janeiro e fevereiro, comparando com o período do ano passado, os feminicídios diminuíram. No entanto, em fevereiro houve um acréscimo das tentativas de feminicídio”, alertou.

Fonte: Rádio Guaíba
+ Mais Informações ››››››

Grupo de crianças usa Viagra, ecstasy e álcool em piquenique escolar em Lajeado

Imagem: Arquivo Pessoal/CEAT
Suposto abuso sexual também é relatado. MP investiga o caso

Um piquenique externo, preparado na última quinta-feira pelo Colégio Evangélico Alberto Torres, em Lajeado, no Vale do Taquari, para alunos do 8º ano, virou alvo de investigação do Ministério Público. Relatos de testemunhas apontaram que o grupo de crianças, com idades entre 12 e 13 anos, ingeriu bebida alcoólica, ecstasy (psicotrópico sintético) e Viagra (remédio para impotência sexual), o que demandou atendimento médico. Um suposto abuso sexual também pode ter ocorrido, de acordo com vídeos e áudios que circularam em redes sociais da região.

Em reunião na tarde dessa terça-feira, o promotor Carlos Augusto Fioriolli estipulou que a instituição de ensino entregue ao Ministério Público documentos que constituam provas sobre os envolvidos no piquenique, assim como a identificação das crianças e dos pais. “É nessa etapa que estamos trabalhando, com o reconhecimento da conduta de cada personagem para, posteriormente, verificar a gravidade e aplicar a medida socioeducativa”, completa o promotor.

Em entrevista à Rádio Guaíba, Fioriolli explicou que os funcionários do Ministério Público começaram a receber mensagens em redes sociais e em grupos de WhatsApp com áudios, fotos e vídeos do evento promovido pela escola, inclusive o que incluía uma jovem sendo abusada por um colega. “Começamos a fazer um trabalho quase jornalístico, de entender quem, o que e onde exatamente aquelas informações estavam circulando e, principalmente, de onde elas estavam saindo”.

O promotor ainda contou à reportagem que, ainda na sexta-feira, encaminhou uma notificação ao Hospital Bruno Born, à Unimed e à Unidade de Pronto Atendimento do município para saber se alguma criança havia dado entrada com as características citadas nos áudios, como abuso e embriaguez. “Com a afirmação de que na UPA um menino de 13 anos havia ficado internado durante o final de semana, pudemos dar andamento às investigações”, completou Fioriolli.

Já com algumas informações e provas confirmando o ocorrido, o Ministério Público reuniu-se com a direção da escola e exigiu imagens das câmeras de segurança da instituição. “Durante esse período, enquanto estamos fazendo a análise dos documentos, já ouvimos dois jovens e seus pais para ternarmos compreender toda essa situação e, partir dali, buscarmos a conduta que cada um teve antes do evento na combinação do que levar ao piquenique, bem como a conduta que cada um teve diante das falas e das filmagens”.

Conforme o promotor, entender a conduta de cada jovem no evento é fundamental para que as medidas de proteção e socioeducativas sejam aplicadas com maior ou menor intensidade. “Podemos ter, nesse caso, abuso sexual, tráfico de drogas e outros diversos tipos de infrações que podem ser considerados crimes ou atos infracionais. Estamos, inclusive, pedindo exames toxicológicos nessas crianças para identificar o tipo de toxina que há no organismo”.

O promotor disse ainda que, além do âmbito do Direito, o caso precisa ser analisado pelo viés psicológico e do Estatuto da Criança e do Adolescente para compreender e identificar por que um grupo de jovens promoveu, filmou e compartilhou nas redes sociais o que ocorreu durante o piquenique. “É um seleto grupo de crianças, com famílias estruturadas, com condições financeiras e é preciso entender o que os motivou a fazer e mostrar à grande sociedade. Isso é importante pelo aspecto social e não só pela responsabilidade dos pais e omissão e das ações dos filhos, mas exatamente para conhecer o que está acontecendo com certos grupos de jovens que, além de quebrar a regra, querem mostrar que ela está sendo quebrada”, finalizou Fioriolli.

A reportagem entrou em contato com a instituição de ensino, que afirmou que a atividade, que é anual, ocorreu na Associação Atlética Banco do Brasil (AABB). A escola garante estar auxiliando o Ministério Público na identificação dos alunos e dos responsáveis. A escola disse ainda que 14 estudantes foram suspensos, por três dias.

Fonte: Rádio Guaíba
+ Mais Informações ››››››

Condutor sem habilitação causa acidente em Nonoai

O Comando Rodoviário da Brigada Militar de Nonoai, registrou um acidente de trânsito na ERS 406, na altura da entrada para o Posto da Colina, que aconteceu nesta quarta-feira, por volta das 19h30min. Se envolveram no acidente um Fiat Pálio branco com placas de Santa Catarina e um Fiat Uno verde, com placas de Nonoai.

De acordo com as informações do Sargento Cristofari, o Pálio iria adentrar o pátio do Posto da Colina, quando acabou abalroado pela Fiat Uno, então saindo da pista e capotando. Eles faziam sentido Nonoai a Chapecó. Quando a guarnição da Polícia Rodoviária chegou no local, o motorista do Fiat Uno tinha se evadido. Ele também não deu entrada no Hospital para receber atendimento.

O condutor do Uno foi identificado e irá responder pelos crimes do artigo 305 do CTB, por afastar-se do local do acidente, artigo 309, dirigir sem ser habilitado e por lesão corporal porque o condutor do pálio saiu ferido.

A proprietária do Uno será notificada por permitir que pessoa não habilitada dirigisse o veículo. O condutor do Pálio, um homem de 19 anos, recebeu atendimento. O Comando Rodoviário fez o registro da ocorrência para as providências cabíveis.

Fonte: CPZ Notícias
+ Mais Informações ››››››

Postagens que talvez você não viu!!!