A VOZ DA COMUNIDADE AO VIVO

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Jornal dos Trabalhadores - Rio Grande do Sul - Edição 560 do dia 02 de setembro de 2014.

Ouça nesta edição:
Emater prevê supersafra;
Virada Cultural mistura arte ecologia em SP;
Plano de Mobilidade e Museu da Agricultura e Pecuária são anunciados na Expointer;
Direitos do trabalhador, direitos do estagiário.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Receita de Bolo Marta Rocha

Ingredientes
Pão de ló
5 ovos
10 colheres (sopa) de água morna
2 xícaras (chá) de açúcar
1 pitada de sal
1 xícara (chá) de amido de milho
1 xícara (chá) de farinha de trigo
1 colher (sobremesa) de fermento em pó
Crocante
100g de nozes ou castanhas
2 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (sopa) de manteiga
1 pitada de sal
1/2 litro de chantilly
Suspiro
4 claras
10 colheres (sopa) de açúcar
Doce de ovos
4 gemas
100g de açúcar
2 colheres (sopa) de leite
2 colheres (sopa) de manteiga
Modo de preparo
Pão de ló
Bata as gemas com a água morna.
Acrescente aos poucos, o açúcar e bata bem.
Peneire o amido de milho, a farinha, o sal e o fermento juntos e acrescente-os à massa.
Por último, misture delicadamente as claras em neve.
Despeje sobre uma forma desmontável redonda, pequena, untada e enfarinhada.
Leve ao forno médio por, aproximadamente, 35 minutos.
Retire e corte ao meio depois de frio.
Crocante
Misture os quatro primeiros ingredientes e leve ao fogo brando até formar uma farofa.
Reserve.
Suspiro
Bata as claras em neve, coloque o açúcar até formar um suspiro.
Unte, com margarina, a mesma forma usada para fazer o bolo.
Despeje o suspiro e acerte a superfície, deixando-a plana.
Asse em forno brando até dourar um pouco.
Doce de ovos
Peneire as gemas e misture-as aos demais ingredientes.
Leve ao fogo baixo, mexendo sempre, até engrossar.

Montagem
Umedeça a parte de baixo do pão de ló com 1 xícara (chá) de leite com chocolate em pó.
Coloque uma camada de chantilly e salpique o crocante.
Espalhe o suspiro e o doce de ovos.
Cubra com a outra parte do pão de ló, já umedecida.
Cubra com o restante do chantilly e decore a gosto.
Sirva em seguida.
Rendimento: 12 porções
Por:Editora Emporium de Ideias
Postado por:Elisete Bohrer


APLs de Agroindústrias irão organizar vendas conjunta de produtos

Comercializar em conjunto os alimentos produzidos pelos
Arranjos Produtivos Locais. Este foi o principal encaminhamento ao término do 3º Encontro de APLs de Agroindústrias e Alimentos, realizado durante dois dias em Iraí e encerrado nesta sexta-feira (29).
Uma plataforma digital nos mesmo moldes da já utilizada pelo APL de Agroindústria e Diversidade do Médio Alto Uruguai irá auxiliar na organização das vendas. "A ideia é unir esforços. Há um mercado aberto para receber esta demanda de produtos, como escolas e hospitais. Os arranjos também irão atuar juntos no auxílio as prefeituras para regularizar a situação dos municípios junto ao Sistema Unificado de Atenção a Sanidade Agroindustrial, Susaf. São exemplos como estes que mostram que ao criar um arranjo a economia local agrega valor na solução de suas demandas e no caminho do desenvolvimento das regiões", destaca o diretor da Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento Sergio Kapron.
Participaram do 3º Encontro dos APLs de Agroindústria Familiar e Alimentos os arranjos das regiões Celeiro, Médio Alto Uruguai, Missões, Vale do Rio Pardo, Vale do Taquari e APL Alimentos da Região Sul.
Texto: Josias Bervanger
Postado por:Elisete Bohrer

Menor coelho do mundo é novidade no Pavilhão de Pequenos Animais

O Pavilhão de Pequenos Animais segue como uma das atrações mais visitadas da Expointer, conquistando público de todas as idades com a imensa variedade de raças. 
Uma das novidades desta edição é o coelho da raça Netherland, considerado o menor do mundo. O animal está sendo exposto pela primeira vez na feira. Natural de Portugal, a espécie chega a pesar quase a metade de um coelho padrão.
Destinado ao mercado pet, como animal de estimação, o Netherland também é uma novidade entre os criadores gaúchos, com filhotes de 45 dias sendo comercializados a R$ 150,00. Já as matrizes para produtores podem chegar a mais de R$ 700,00.
O Presidente da FARCO (Federação das Associações Riograndense de Criadores de Coelho) fala que o Rio Grande do Sul possui hoje mais de 100 criadores de coelho. Na Expointer estão expostos 224 animais de 29 raças, como os Gigantes de Flandres, Bouscat, Nova Zelândia Branco, Californiano, entre outros.

Texto: Carla Suptitz/Especial Expointer
Postado por:Elisete Bohrer

Jornal da Liberdade Edição 1117 do Dia 01 de setembro de 2014

Destaque desta edição.

Três Palmeiras - CTJ Coxilha das Palmeiras recepciona o Grupo Cultural Tradicionalista Cavaleiros do Mercosul
Mega-Sena acumula e prêmio pode chegar a R$ 46 milhões
Meninas devem receber hoje segunda dose da vacina contra HPV
Benefício da Previdência deve ser pedido no INSS
Abertura da semana da pátria em três palmeiras

 


Apresentado Por: Alcione Gondorek 

Abertura da Semana da Pátria em Três Palmeiras

A abertura da Semana da Pátria 2014, ocorreu nesta segunda-feira, dia 1º de setembro , em Três Palmeiras. A solenidade aconteceu, pela parte da manhã, em frente ao Centro Municipal de Eventos, na Praça 12 de Maio .
Varias autoridades, alunos e professores da Escola Municipal Alberto Pasqualini e da Escola Estadual de Ensino Médio Jose Antônio Ferronato ,e a comunidade em geral , estiveram presentes no ato da abertura. Após o hasteamento das bandeiras, foi realizado uma apresentação dos alunos do programa Mais Educação da Escola Municipal Alberto Pasqualini.
No sábado dia 6 de setembro, às 9h acontecerá, na praça Municipal 12 de Maio, uma caminha Cívica e apresentações das Escolas Municipais e Estaduais do Município,em comemoração a Independência do Brasil,  todos estão convidados a participar e prestigiar o evento .







































Por:Elisete Bohrer



Meninas devem receber hoje segunda dose da vacina contra HPV

Imunização será destinada a adolescentes de 11 a 13 anos
Meninas de 11 a 13 anos que já receberam a primeira dose da vacina contra o papiloma vírus humano (HPV) devem receber, a partir desta segunda-feira, a segunda dose. A imunização será feita em escolas públicas e particulares e também em unidades de saúde.
De acordo com o Ministério da Saúde, mais de 4,3 milhões de meninas nessa faixa etária já receberam a primeira dose em março deste ano. A segunda é essencial para garantir a proteção contra o HPV.
A vacina protege contra quatro subtipos do HPV (6, 11, 16 e 18). Os subtipos 16 e 18 são responsáveis por 70% dos casos de câncer de colo de útero, enquanto os subtipos 6 e 11 respondem por 90% das verrugas anogenitais.
Meninas que ainda não tomaram a primeira dose também podem procurar os postos de saúde. Para receber a segunda, basta apresentar o cartão de vacinação ou documento de identificação. A terceira dose será aplicada cinco anos após a primeira.
Em 2015, a vacina será oferecida para meninas de 9 a 11 anos e, em 2016, para meninas de 9 anos. O ministério reforçou a importância do uso do preservativo como proteção contra as demais doenças sexualmente transmissíveis e da realização do exame conhecido como papanicolau em mulheres a partir dos 25 anos.
O HPV é um vírus transmitido pelo contato direto com a pele ou mucosas infectadas por meio de relação sexual. Ele também pode ser transmitido da mãe para o filho no momento do parto. Estimativas da Organização Mundial da Saúde indicam que 290 milhões de mulheres em todo o mundo estão infectadas, sendo 32% delas pelos subtipos 16 e 18.
Em relação ao câncer de colo de útero, estudos apontam que 270 mil mulheres no mundo vivem com a doença. No Brasil, o Instituto Nacional do Câncer estima o surgimento de 15 mil novos casos este ano.
Fonte: Agência Brasil
Postado por:Elisete Bohrer

Maior usina de energia solar do país foi construída em telhados, com financiamento da CAIXA

Projeto de geração de energia e renda executado em Juazeiro(BA) é uma das ações do banco na área de sustentabilidade.
Com financiamento da Caixa Econômica Federal, dois empreendimentos de habitação popular localizados em Juazeiro, Bahia, têm funcionado, desde o início do ano, como uma usina de energia solar a partir da instalação de placas fotovoltaicas nos telhados de cada casa, produzindo 2,1 quilowatts, garantindo uma renda extra para os moradores.
Segundo o gerente nacional de Sustentabilidade e Responsabilidade Socioambiental da Caixa Econômica Federal, Jean Benevides, o projeto de Juazeiro “é a maior usina solar do país”. Jean Benevides apresentou nesta quinta-feira (21), no seminário “Políticas de Responsabilidade Socioambiental em Instituições Financeiras de Desenvolvimento”, o diferencial da CAIXA na área de sustentabilidade.
“Testamos essa inovação e vimos que este modelo dá certo, inclusive com o envolvimento da comunidade local. A energia gerada é vendida no mercado livre e a receita é dividida com os moradores e com o condomínio”, diz.
O projeto de geração de renda e energia, financiado pelo Fundo Socioambiental CAIXA, foi apenas uma das ações apresentadas pelo gerente nacional de Sustentabilidade e Responsabilidade Socioambiental para mostrar a preocupação da CAIXA com a sustentabilidade em diversas áreas, participando ativamente de inovações e negócios sustentáveis, trabalhando o tema da construção sustentável e criando linhas voltadas à eficiência energética e energias sustentáveis.
“Começamos com as compras das máquinas de ATM (o caixa automático para sacar dinheiro e autoatendimento). Temos um critério de eficiência energética desses produtos e só ganha a licitação a empresa que fornecer o equipamento com esta preocupação”. O gerente acrescenta que os equipamentos têm vida útil de oito anos cada.
Segundo ele, a CAIXA, em parceria com a Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG), incentiva as indústrias a obterem a licença ambiental. Com este projeto, o banco financia a regularização ambiental dos estabelecimentos comerciais.
As inovações sustentáveis são incentivadas pelo Socioambiental CAIXA, criado em 2010 com o objetivo de promover a cidadania e o desenvolvimento sustentável e que detém 2% do lucro líquido do banco.

China e Rússia proíbem produção de transgênicos em seus territórios

O governo chinês decidiu no último dia 17/08 não renovar a permissão para desenvolver arroz e milho transgênicos dentro do país. 
A produção dessas culturas no país começou em 2009, com a promessa de que os transgênicos diminuiriam o uso de agrotóxicos na agricultura chinesa em cerca de 80%, além de aumentar a produtividade.
Mas a permissão era apenas para pesquisa. A comercialização dos transgênicos estava proibida até se confirmar que as culturas não apresentariam malefícios à saúde.
Em julho deste ano, no entanto, foi encontrado sacos de arroz transgênicos sendo comercializados no mercado chinês.
De acordo com Huang Jikun, cientista chefe da Academia Chinesa de Ciências, “a pressão da população, preocupada com a segurança alimentar, foi um dos elementos para essa decisão ser tomada”.
Além disso, a China está alcançando o patamar de auto-suficiência na produção do arroz, não precisando assim desenvolver os transgênicos para garantir a alimentação de sua população.
“Exportamos pouco arroz porque a maioria do que é produzido é consumido no nosso território”, afirma o cientista. 

Pelo Mundo

Outros países também têm proibido o consumo e produção de organismos transgênicos, alegando que a tecnologia não é segura. 
Um destes é a Rússia, que desde abril deste ano baniu os transgênicos de seu território, impondo uma moratória de 10 anos. 
De acordo com o primeiro-ministro Dmitriy Medvedev, “se os americanos gostam de comer produtos OGM (transgênicos), que os comam. Nós não precisamos fazer isso; temos espaço suficiente e oportunidades para a produção de alimentos orgânicos”. 
De acordo com Irina Ermakova, vice presidente da Associação Nacional da Rússia para a Segurança Genética, “tem sido provado não só na Rússia, mas em muitos outros países do mundo, que os transgênicos são perigosos. O consumo e produção dessa cultura podem gerar tumores, câncer e obesidade entre os animais. Biotecnologias certamente devem ser desenvolvidas, mas os OGM devem ser interrompidos”, alertou.

México

Na América Latina, um tribunal do estado de Yucatán (México) recentemente revogou permissão outorgado à Monsanto, pela Secretaria de Agricultura, Pesca e Pecuária e a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Naturais em junho de 2012, que permitia o plantio comercial de soja com o agrotóxico Roundup. 
A utilização do veneno e dos transgênicos da empresa prejudicava agricultores e apicultores da área: O México é o sexto maior produtor e o terceiro maior exportador mundial de mel. Cerca de 25.000 famílias de Yucatán, região que produz ao redor de 40% do mel do país, depende de sua produção.  
As evidências científicas sobre as ameaças que representam os cultivos de soja transgênica para a produção de mel na península de Yucatán – inclusive nos estados de Campeche, Quintana Roo e Yucatán– convenceram o poder judiciário sobre a necessidade da retirada da permissão.
A sentença determinou que não é possível a coexistência da produção de mel e soja com o uso de organismos geneticamente modificados (OGM), segundo publicou o jornal 'The Guardian'.

Jornal dos Trabalhadores - Rio Grande do Sul - Edição 559 do dia 01 de setembro de 2014

Ouça nesta edição:
Audiência em SP discute a radiodifusão comunitária no Brasil;
Começa nesta semana votação do Plebiscito Constituinte;
Maior usina de energia solar do Brasil é instalada em Juazeiro;
Horizontina fecha parceria para o Natal Fantástico.

sábado, 30 de agosto de 2014

Três Palmeiras - Coral Alemão Immer Frelich se prepara para apresentação no dia 06 de setembro

Através de uma iniciativa do Governo Municipal de Três Palmeiras, foi criado no município o Coral Alemão que se apresentará pela primeira vez no dia 06 de setembro, nas atividades de comemoração a Independência do Brasil. Coordenado pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura o grupo tem o objetivo de resgatar a cultura alemã e trazer integração e alegria aos integrantes.
O grupo que já conta com um nome, “Coral Alemão Immer Frelich (Sempre Alegres)” está a aproximadamente dois meses realizando ensaios semanais contando com a participação de 21 integrantes, moradores do Distrito de Vila Progresso e arredores.
Estão definidas as músicas que serão apresentadas, “Oh Isabella” e “In ein stöthen (Em uma cidade) foram as canções escolhidas pelo grupo. Para o integrante do coral, Sr. João Grams está sendo muito bom resgatar a cultura alemã. “É muito interessante pra nós resgatar a cultura e a tradição do nosso povo alemão” relata.
Além do coral alemão o governo municipal tem desenvolvido demais atividades culturais ligadas a musicalidade. É realidade no município, além do coral alemão, a Banda Marcial Municipal e o Coral Municipal Italiano, incentivando assim a cultura na vida da população trespalmeirense.
Fonte:Divulgação
Postado por:Elisete Bohrer