domingo, 25 de agosto de 2013

Rio Grande do Sul tem mais de 2,3 mil afetados por cheias

Defesa Civil alerta para nível dos rios que segue subindo, podendo causar mais estragos

Defesa Civil alerta para nível dos rios que segue subindo, podendo causar mais estragos<br /><b>Crédito: </b> Juremir Versetti/Especial CP
Defesa Civil alerta para nível dos rios que segue subindo, podendo causar mais estragos
Crédito: Juremir Versetti/Especial CP
Chegam a 2.361 o número de atingidos pelos estragos da chuva no Rio Grande do Sul. O balanço foi divulgado na tarde deste domingo, em entrevista concedida pela Defesa Civil do Estado, na cidade de Lajeado, no Vale do Taquari. Deste total, 1.570 estão desabrigados e outros 791 desalojados, em função das cheias dos rios e devido às chuvas que atingem o Estado há três dias. O órgão reforçou a necessidade de as prefeituras reforçarem o auxílio para as pessoas afetadas.

Como o mau tempo deve persistir no início desta semana, o coronel Paulo Roberto Locatelli Gandin, subchefe da Defesa Civil no Estado, alerta que o total de afetados pode aumentar ainda neste domingo. “Durante a noite, muitos rios ainda estão aumentando (nível das águas) e este número (afetados) pode subir durante a madrugada e, por isso, estamos em situação de alerta até quarta-feira”, salientou.

Conforme a Defesa Civil, a situação mais preocupante envolve o rio Taquari, que já subiu 10 metros acima do nível normal, chegando a 23 metros. Alertas também foram estendidos para os rios Caí, Sinos e Paranhana.

As cidades mais afetadas na Região Metropolitana são: Porto Alegre, Rolante, Igrejinha, Parobé, Sapiranga, Novo Hamburgo, São Leopoldo, São Sebastião do Caí, Montenegro e Bom Princípio. Já na região do Vale do Taquari, os municípios com o maior número de atingidos são Venâncio Aires, Lajeado, Estrela, Cruzeiro do Sul, Arroio do Meio, Taquari, Bom Retiro do Sul e Encantado.

Em São Francisco de Paula, um homem de 54 anos está desaparecido desde sábado depois de ter tentado atravessar, de carro, uma barragem situada na divisa com o município de Canela. Durante a travessia, a caminhonete foi levada pela força da correnteza. O outro tripulante conseguiu se salvar. O Corpo de Bombeiros da região realiza buscas no local.

Rodovias interditadas
A chuva também interdita diversas estradas do Rio Grande do Sul. O Comando Rodoviário da Brigada Militar alerta que na ERS 470, em Bento Gonçalves, e na ERS 129, em Colinas, não é possível trafegar. Três pontes foram interditadas: uma em Cotiporã, outra em Arvorezinha e a terceira em Anta Gorda.

No Vale do Caí, a passagem de veículos está interrompida no acesso entre Pareci Novo e São Sebastião do Caí, na ERS 124. A alternativa para os motoristas é realizar o trajeto pela ERS 240, ingressando na ERS 122, em Portão.

Na região Metropolitana de Porto Alegre, diversas vias estão alagadas. Em Esteio, as ruas Rio Grande e Bento Gonçalves, no bairro São Sebastião, estão com água. Na região dos Condomínios Morada I e II, os moradores estão ilhados, sem poder sair de casa. O transporte público coletivo da cidade não passa pelos locais.

Em Igrejinha, moradores dos bairros 15 de Novembro e Moinho enfrentam pontos de alagamento. Em Rolante, os Rios Rolante e Areia estão fora do leito e há alagamentos na rótula existente no acesso da cidade na direção de Taquara e no bairro Grasmann.

Segundo o Corpo de Bombeiros Voluntários de Rolante, em boletim das 8h45min, no Rolantinho, o acesso estava interditado. O bairro Contestado estava em estado de alerta e a Linha Reichert permanecia alagada e interditada nas proximidades da Mecânica Schimia.

Na região Metropolitana, o trânsito na ERS 020 está totalmente bloqueado no Km 20, entre a parada 100 e 101, em Gravataí, nos dois sentidos. O asfalto cedeu na via. Conforme o Grupo Rodoviário de Gravataí, os desvios também apresentam problemas devido ao acúmulo de água na pista. Equipes do Departamento Autonômo de Estradas e Rodagens (Daer) foram acionadas para tentar reparar o asfalto.

No Vale do Taquari, vários trechos que levam à cidades da região estão interrompidos. A rodovia de acesso a Colinas foi fechada, assim como a estrada que liga a cidade de Cruzeiro do Sul com Mariante. Um dos acessos a cidade de Forquetinha também foi interrompido.

Na Serra, na ERS 431, no Km 16, entre os municípios de Bento Gonçalves e Guaporé, a estrada está totalmente interditada. O nível do Rio das Antas subiu e invadiu a pista, impossibilitando o tráfego. Outro trecho bloqueado fica na ERS 44, na altura do Km 28, em Santa Tereza. A estrada está em meia pista por causa de alagamentos.

Conforme a Polícia Rodoviária Federal, não foram registrados deslizamentos de terra ou queda de barreiras nas rodovias federais da região.

Com informações dos repórteres Stephany Sander e Deoli Gräff. 
+ Mais Informações ››››››

Chuva desabriga famílias e bloqueia rodovias no Rio Grande do Sul

Nível do Rio Taquari sobe em média 35 cm por hora<br /><b>Crédito: </b> Deolí Gräff / Especial CPDefesa Civil alerta para cheias de rios e possibilidade de enchentes

Nível do Rio Taquari sobe em média 35 cm por hora
Crédito: Deolí Gräff / Especial CP
As fortes chuvas que atingem o Rio Grande do Sul obrigam famílias a deixarem suas casas e bloqueiam rodovias no interior do Estado. As áreas mais atingidas são Vale do Caí, do Paranhana, do Taquari e Serra. A Defesa Civil mantém o alerta para possibilidade de enchentes em todo o território gaúcho neste domingo.

Conforme o órgão, ao menos oito municípios enfrentam transtornos com as cheias dos rios. Cerca de 100 pessoas foram para ginásios e escolas de São Sebastião do Caí, no Vale do Caí. Em Parobé, no Vale do Paranhana, aproximadamente 30 pessoas foram obrigadas a ir para o abrigo municipal.

O Vale do Taquari é outra região que preocupa as autoridades. Na última leitura efetuada no Porto de Estrela, às 9h deste domingo, o nível estava com 21,80 metos - 8,80 metros acima do normal, que é de 13 metros. A água sobe em média 35 cm por hora.

Em Lajeado, várias ruas foram invadidas pelas águas do Rio Taquari. Com isto, os motoristas são obrigados a utilizar as ruas centrais da cidades causando transtornos e congestionamentos. Ao menos 45 famílias foram deslocadas para o Parque do Imigrante, diante da possibilidade de enchentes.

Na mesma região, em Taquari, ao menos 80 pessoas foram removidas de casa de forma preventiva. Outros municípios atingidos são Encantado, onde 20 famílias precisaram deixar as moradias. Outras dez famílias saíram das residências em Cruzeiro do Sul e sete em Colinas. Entretanto, a Defesa Civil ainda faz medições dos arroios e rios para avaliar quais medidas serão adotadas.

Em Porto Alegre também houve remoções. Ainda na noite desse sábado, a Defesa Civil municipal retirou cerca de 25 famílias de casa no bairro Agronomia, na zona Leste da Capital, na divisa com Viamão. Há risco de transbordamento do Arroio Dilúvio. “Temos monitorado essa situação desde quinta-feira. Essas famílias não foram necessariamente atingidas algumas saíram por conta própria. São medidas predominantemente preventivas porque esses são locais de risco”, explicou em entrevista ao Correio do Povo o coordenador da Defesa Civil gaúcha, coronel Oscar Luis Moiano.

Segundo ele, por enquanto, não houve necessidade de emitir decreto de situação de emergência. Mas os problemas podem se agravar nas próximas horas. “O quadro, por enquanto, está sob controle. Ainda não houve situação que requeresse decreto de emergência. Mas é possível que aconteça. Mesmo que pare a chuva, há escoamento de água pela região dos Vales. E isso pode agravar o quadro”, ponderou.

Ao menos 21 municípios gaúchos são monitorados com atenção especial pela Defesa Civil em função das cheias dos rios: Arroio do Meio, Bom Retiro do Sul, Colina, Cruzeiro do Sul, Encantado, Estrela, Gramado, Igrejinha, Muçum, Novo Hamburgo, Parobé, Porto Alegre, Roca Salles, Rolante, Santa Tereza, São Francisco de Paula, São Sebastião do Caí, Taquara, Taquari, Três Coroas e Venâncio Aires.

Rodovias interrompidas

A chuva também causa problemas em rodovias do interior e da Serra. Alguns trechos foram bloqueados devido ao acúmulo de água na pista e também queda de barreiras e deslizamentos de terra.

No Vale do Taquari, vários trechos que levam à cidades da região estão interrompidos. A rodovia de acesso a Colinas foi fechada, assim como a estrada que liga a cidade de Cruzeiro do Sul com Mariante. Um dos acessos a cidade de Forquetinha também está interrompido.

Na Serra, na ERS 431, no Km 16, entre os municípios de Bento Gonçalves e Guaporé, a estrada está totalmente interditada. O nível do Rio das Antas subiu e invadiu a pista, impossibilitando o tráfego. Outro trecho bloqueado fica na ERS 44, na altura do Km 28, em Santa Tereza. A estrada está em meia pista por causa de alagamentos.

Conforme a MetSul Meteorologia, o acúmulo de chuva sobre o Rio Grande do Sul segue neste domingo. As precipitações mais intensas são esperadas para a região de Santa Cruz do Sul, Vale do Caí e Região Metropolitana. Em Porto Alegre, onde chove desde quinta-feira, o acumulado superou os 100 mm. Volume pode atingir de 120 mm a 130 mm ao longo do dia.

Com informações dos repórteres Rafaella Fraga, Deolí Gräff e Marcos Koboldt


Fonte: Correio do Povo e Rádio Guaíba
+ Mais Informações ››››››

Barragem transborda e arrasta caminhonete em São Francisco de Paula

Um dos tripulantes foi levado pela correnteza e permanece desaparecido na região

O volume intenso das águas da Barragem do Blang em São Francisco de Paula, na Região Metropolitana, arrastou uma caminhonete Hilux L-200 na tarde deste sábado. Antônio Lazari, de 54 anos, e Jaime Pegorini, 39, estavam dentro do veículo e foram levados pela força da água, por volta das 16h. Populares conseguiram resgatar Pegorini. Segundo o Corpo de Bombeiros de Canela, Lazari foi arrastado rio abaixo e continua desaparecido. As vítimas são de Caxias do Sul.

Conforme informações dos bombeiros, o motorista do veículo tentou cruzar por um acesso que fica abaixo da represa. No entanto, a água transbordou sobre a cabeceira da barragem e passou por cima da estrada vicinal. A caminhonete foi levada pela força da correnteza. O veículo capotou e os passageiros ficaram ilhados no automóvel.

Com ajuda de moradores da região, a camionete foi puxada. Um dos tripulantes conseguiu segurar a corda e escapou com vida, mas o outro foi levado pela água. Os bombeiros realizaram buscas até o escurecer, mas não localizaram o corpo da vítima. Os trabalhos serão reiniciados na manhã deste domingo.

Fonte: Halder Ramos / Correio do Povo
+ Mais Informações ››››››

Postagens que talvez você não viu!!!