quinta-feira, 29 de março de 2018

Jornal Comunitário - Rio Grande do Sul - Edição 1460, do dia 30 de Março de 2018

Edição 1460, do dia 30 de Março de 2018
CLIQUE AQUI PARA BAIXAR:

OPÇÃO 01 IVOOX

OPÇÃO 02 DRIVE

Um Jornal Comunitário de edição colaborativa, produzido pelas emissoras de Rádios Comunitárias do Estado do Rio Grande do Sul, seja você um correspondente da sua região, entre em contato pelos telefones Whatsapp 54 9611 0186 ou 54 3367 1351.


NA EDIÇÃO DE HOJE:
· Desemprego cresce e atinge 13,1 milhões de pessoas.

· Promessa do governo, MP trabalhista está prestes a caducar.

· Mulheres musicistas rompem barreiras e se destacam na produção autoral.

· Em busca de ‘poupança’ para o ano, indígenas de Três Palmeiras acampam em Porto Alegre para vendas de Páscoa.

· Imposto de Renda pode ser entregue até o dia 30 de abril.

· ‘Estado precisa agir e punir responsáveis’, afirma ex-ministro.

· Cientistas descobrem novo órgão que pode explicar como câncer se espalha.
+ Mais Informações ››››››

Mensagem de Páscoa do Governo Municipal de Três Palmeiras a Toda a Comunidade TrêsPalmeirense


+ Mais Informações ››››››

Em busca de ‘poupança’ para o ano, indígenas de Três Palmeiras acampam em Porto Alegre para vendas de Páscoa

Josué vem a Porto Alegre há 15 anos durante a época de Páscoa para vender artesanato | Foto: Guilherme Santos/Sul21
Desde o dia 11 de março, a casa da família de Josué é a lona preta, colocada debaixo de uma árvore de boa sombra do Parque Harmonia, em Porto Alegre. Há 15 anos, na época da Páscoa, é assim. Ele deixa a Terra Indígena de Serrinha, no município de Três Palmeiras e toma o rumo da capital gaúcha a 373 km de distância, carregando palha, feixes de flor de marcela, cestas e balaios. A primeira vez que veio à Capital foi seguindo um conselho do tio, que disse que as vendas por aqui faziam a viagem valer a pena.

“Ele falava que valia vir. E é a cultura que a gente tem, esse artesanato”, conta ele, enquanto segue trançando mais uma cesta, em formato de coelho. “Mas agora, por incrível que pareça, está vendendo mais marcela do que cesta. Difícil encontrar marcela por aqui”.

Josué, a esposa e os filhos estão entre os 700 indígenas acampados no Parque, que todo mês de setembro abriga o Acampamento Farroupilha, para a época da Páscoa. A esperança deles é conseguir levantar dinheiro suficiente para se manter por alguns meses.

Esse ano, porém, com o feriado caindo entre o final do mês e o dia 1º de abril, as vendas foram prejudicadas. Os indígenas dizem que, antes do dia 5, é difícil que as pessoas tenham dinheiro em mãos para gastar e acabam comprando menos.

“A gente vem porque aqui é mais o centro do negócio. O movimento é melhor. Não é todos os anos que vende bem, mas ainda assim. A gente costuma fazer uma venda boa quando a Páscoa cai pelo dia 7”, relata Luis Salvador, que também vive na Serrinha, mas dentro do território pertencente a Ronda Alta. A Terra Indígena tem 12 mil hectares e está em quatro municípios da região norte do Estado.

Luis vem a Porto Alegre há 17 anos. Mesmo nos anos mais difíceis, de crise. “Dá para pagar as dívidas, né?”, diz rindo e olhando para o vizinho de aldeia, Vitorino. Algumas prefeituras, como a de Ronda Alta, ajudam com os custos do transporte para que as famílias possam vir até a Capital e voltar para casa. “Tem outros aqui que tiveram que desembolsar passagem. Daí fica mais difícil”, conta ele.
Vitorino Soares ajuda a trançar cestas que são vendidas por outros indígenas no centro da capital | Foto: Guilherme Santos/Sul21
Desde o ano passado, as caravanas caíram pela metade. Em 2017, 14 delas estavam no Parque. Este ano, são sete. Segundo Luis, a data da Páscoa, a crise econômica do país e os problemas para chegar até a Capital teriam ajudado na desistência.

“Eu acho que não vale muito a pena, porque tenho criança pequena, mas venho junto para ajudar”, diz Raquel, também vinda da área de Três Palmeiras.

A arte da cestaria ela conta que aprendeu com a mãe, que trouxe isso de gerações de seus antepassados. Enquanto ela passa as tardes no Harmonia, produzindo mais cestas, com outras mulheres da família ao lado, o marido sai para vender.

Com as calçadas do Centro Histórico cada vez mais disputadas, entre às 4h e 5h da manhã os indígenas já começam a se movimentar para sair. Chegando na Rua dos Andradas, precisam pedir licença e uma brecha aos imigrantes haitianos e senegaleses que também tentam ganhar a vida por ali.

“Tem que ir dividindo”, diz Luis. Segundo ele, a Prefeitura de Porto Alegre não interfere, diz apenas que eles têm que acertar a divisão do espaço entre eles.

Migração de época acontece há décadas
A vinda dos indígenas para a Capital na época da Páscoa não é novidade, segundo Roberto Liebgott, do Conselho Indigenista Missionário (Cimi). No passado, eles chegavam aqui com a perspectiva de trocas – traziam seus produtos para levar outros da região de volta para suas aldeias. Quando o sistema de moeda entrou na comercialização, eles seguiram migrando para vender os produtos, mas pensando em criar reservas de dinheiro que ajudam a passar alguns meses do ano.
Raquel aprendeu com a mãe a tradição da cestaria, uma das artes kaingang | Foto: Guilherme Santos/Sul21
“É como uma poupança. Em Porto Alegre, isso se dá há muitos anos, mas se intensificou nos últimos 30. Além da Páscoa, acontece na época de veraneio nas praias também, quando os indígenas seguem para lá para vender suas peças. São datas em que os produtos tradicionais deles, como a cestaria, tem maior aceitação no mercado comum”, explica ele.

O problema, diz Roberto, é que mesmo que a vinda dos indígenas aconteça todos os anos, a Prefeitura de Porto Alegre nunca trabalhou para atender as demandas deles para essa época.

“Todo ano é sempre difícil dialogar com o município para assegurar um espaço onde eles possam ficar, onde tenham condições de água, saneamento básico e um espaço reservado para que possam comercializar”, diz ele. O ideal seria criar, para esta época, um espaço exclusivo para o artesanato como aquele pensado para a Feira do Peixe ou a Feira do Livro, todos os anos.

Ajudando a montar as cestas que serão vendidas até o final da Páscoa, Josué, que trabalhou durante cinco verões nas praias, já fez serviço de construção e limpeza em cidades maiores como Passo Fundo, ainda lembra que para muitas pessoas segue a ideia de que índio não gosta de trabalhar.

“Eu gostaria de dizer que todos nós, se não trabalhássemos, não sobreviveríamos. Nós kaingang temos que trabalhar para sobreviver. Eles não entendem nosso trabalho, como vivemos na aldeia. Lá a gente planta feijão, milho, criamos galinha, porco. Todo mundo trabalha. Se um dia eles fossem ver como a gente vive, iam se surpreender”.

Confira mais imagens do acampamento kaingang:



Fonte: Sul21
+ Mais Informações ››››››

Programa 133 29-03-2018 CEL São Lucas da Vila Progresso - Gálatas 3.13, Lucas 20.17 e João 19.30


+ Mais Informações ››››››

Jornal da Liberdade Edição 1957 de 29-03-2018

+ Mais Informações ››››››

Acidente entre ônibus e caminhão em SC deixa um morto e 24 feridos na BR-282

Uma batida de frente entre um ônibus e um caminhão deixou uma pessoa morta e 24 feridas na tarde desta terça-feira (27) na BR-282 em Alfredo Wagner, na Grande Florianópolis. A batida foi por volta das 14h30, no km 91 da rodovia, informou a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O condutor do caminhão morreu no local, enquanto o motorista do ônibus, que saiu de Florianópolis e seguia para Lages, na Serra catarinense, ficou preso às ferragens.

Segundo os bombeiros, 23 pessoas tiveram ferimentos leves e uma ficou ferida de forma moderada. A ocorrência foi atendida pela PRF, Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), Corpo de Bombeiros e Polícia Militar.

Por nota, a Reunidas disse que acompanha o caso envolvendo um ônibus da empresa. Conforme a companhia, havia 19 pessoas no veículo.

Fonte: G1/SC
+ Mais Informações ››››››

Fazendeiro, esposa e uma filha são assassinados após assalto registrado em propriedade em Palmas/PR

Foram localizados no início da tarde desta quarta-feira, dia 28, pelo Corpo de Bombeiros de Palmas, os corpos de Tereza de Fátima Ribas, 58 anos e de sua filha Elizabete de Fátima Ribas, 26 anos. Pela manhã, também no Rio Ferro, havia sido encontrado o corpo do fazendeiro, Altair da Cruz Ribas, 70 anos, que estava amarrado e com pescoço cortado.

A família estava desaparecida desde o último domingo, dia 26, da Fazenda Bela Vista, distante 30 quilômetros da sede do município de Palmas, na localidade de Pastamec. Uma das suspeitas é de que os três tenham sido mortos em sequência e jogados na água.

O desaparecimento do marido, esposa e filha foi comunicado à polícia por um vizinho e um irmão do fazendeiro que perceberam a falta dos três e constataram que a casa da família estava com a porta aberta e faltando diversos bens como televisão, fogão e até alimentos.

Uma caminhonete Ranger também foi roubada. O veículo foi encontrado totalmente queimado, em uma rua de um loteamento bairro Alto no Glória na cidade de Palmas. As buscas aos proprietários da fazenda iniciaram noite de terça-feira após localizadas manchas de sangue na cabeceira de uma ponte do rio, que fica próximo a residência.

Informações RBJ
+ Mais Informações ››››››

Jovem natural de Londres está desaparecida em Alpestre

Agentes da Delegacia de Polícia Civil de Alpestre cumpriram diligências na tarde desta quarta-feira, 28 de março, em busca de pistas sobre o paradeiro da inglesa Katherine Sarah Brewster, 27 anos, registrada como desaparecida junto ao órgão policial na última terça-feira, no Norte gaúcho.

O delegado Ercilio Carletti, que responde pelo município, disse que a informação é de que a jovem se encontrava hospedada há pouco tempo na casa de um morador da localidade de Vila Dom José*, e teria saído na tarde de domingo, 25, para meditar em um matagal, inclusive estava descalça.

Familiares e o consulado já foram comunicados sobre o desaparecimento. Até o momento, nenhum pertence seu foi encontrado. "Vamos ver se nas próximas horas iremos precisar do auxílio de cães e dos bombeiros", adiantou Carletti.

Informações que possam ajudar a localizá-la podem ser repassadas aos órgãos de segurança pública, pelos números de emergência 197, da Polícia Civil (55) 3796- 1240, e 190, da Brigada Militar.

Fonte: Folha do Noroeste
+ Mais Informações ››››››

Presos indivíduos que praticavam furtos com bloqueadores de alarme


Fim de linha para o grupo especializado no furto de carros em Palmeira das Missões. O Pelotão Rodoviário Estadual de Palmeira das Missões efetuou no início da tarde de hoje (28) a prisão de quatro indivíduos.

Conforme o comando rodoviário, através de uma denúncia os policiais avistaram um veículo Gol que seguia sentido Novo Barreiro/Palmeira das Missões, quando foram abordados em frente a unidade policial, na ERS 569. Um deles saiu do veículo e tentou fugir a pé.

Com eles foram encontrados bloqueadores de sinal de alarme veicular. Foi por intermédio desses aparelhos que os ladrões conseguiram furtar pertences do interior dos automóveis estacionados na área central da cidade, como noticiamos recentemente através de imagens do circuito de câmeras de segurança.

Todos os envolvidos são de Passo Fundo. Além dos bloqueadores foram encontrados durante a revista foi encontrado a quantia de cinco mil dólares, 5 telefones celulares e 4 sacolas da Cacau show.

Após serem apresentados a Delegacia de Polícia eles foram encaminhados ao presidio estadual de Palmeira das Missões. A ação contou com o apoio da Brigada Militar.

Fonte: Tribuna da Produção
+ Mais Informações ››››››

Operação Viagem Segura de Páscoa vai de quinta a domingo

Nas 85 edições até o momento, mais de 5,2 milhões de veículos foram fiscalizados
Nos últimos onze anos, o Rio Grande do Sul teve uma morte a cada 3 horas e 28 minutos, em média, nos feriados de Páscoa. A data festiva preocupa por ser a quarta com mais mortes nas vias gaúchas - a média de óbitos por dia de feriado é 6,9, ficando atrás apenas do Dia das Mães (8,6), Dia dos Pais (7,2) e Dia do Trabalho (7,1).

Por essa razão, as autoridades estarão em campo buscando coibir comportamentos de risco desde a zero hora desta quinta-feira (29) até a meia noite de domingo (1º de abril). Serão quatro dias de Operação Viagem Segura, ofensiva de combate à acidentalidade que chega a sua 86ª edição.

Analisando os acidentes da Páscoa no período de 2007 a 2017, o DetranRS identificou que a grande maioria das ocorrências fatais ocorreram nas rodovias (66%). O período do dia mais crítico é a noite, que concentra 35% dos óbitos. As cidades com maior número de vítimas fatais foram Pelotas (18), Porto Alegre (15) e Gravataí (12). Em 2017 morreram 16 pessoas durante os quatro dias da operação, 36% a menos do que no feriado de 2016, quando foram registradas 25 mortes. Esses dados contabilizam os óbitos após 30 dias de acompanhamento dos feridos, além das mortes no local divulgadas no final dos feriados.

Sobre a Viagem Segura

A operação, que completou seis anos de atividades no feriado de 15 de novembro, tem como principais parceiros Polícia Rodoviária Federal (PRF), Brigada Militar (BM), Comando Rodoviário da BM (CRBM), DetranRS e Polícia Civil. Também colaboram órgãos de trânsito municipais (EPTC em Porto Alegre), ANTT, DNIT, Cetran/RS, DAER, EGR, Famurs, além de representantes da sociedade civil organizada, como o Lions Club e o Instituto Zero Acidente.

Nas 85 edições até o momento, mais de 5,2 milhões de veículos foram fiscalizados. O resultado foi a autuação de 914,1 mil infrações, o recolhimento de 87,3 mil veículos e 23,5 mil Carteiras Nacionais de Habilitação. Foram realizados 190,9 mil testes de etilômetro, que registraram 15,4 mil infrações por alcoolemia, além de outras 2,6 mil por recusa ao teste.

Fonte: AuOnline
+ Mais Informações ››››››

Desconto máximo de 20,8% do IPVA 2018 vence nesta quinta-feira

Calendário pelo número final de placa começa na segunda-feira (2)
Está pensando em viajar no feriadão de Páscoa com o IPVA 2018 em dia? Então, fique atento: o prazo para pagamento com desconto máximo de até 20,8% termina nesta quinta-feira (29). Também neste dia vence a terceira e última prestação nos casos em que o motorista optou por parcelar o imposto.

Na próxima semana, inicia a etapa de pagamento do IPVA conforme o número final da placa do veículo, cujo calendário está concentrado ao longo do mês de abril. Na segunda-feira (2), é a data-limite para o final de placa com número 1.

Nesse período, seguem valendo os mesmos benefícios dos programas Bom Motorista e Bom Cidadão. A cada semana haverá três vencimentos do IPVA. Essa fase encerra-se no dia 23 de abril.
Calendário IPVA 2018
Descontos
Os condutores que não receberam multas nos últimos três anos terão dedução de 15%. Para quem não foi multado há dois anos o índice é de 10%. E para quem ficou um ano sem infrações o abatimento é de 5%.

O desconto do Bom Cidadão, por sua vez, dá aos proprietários de veículos que acumularam no mínimo 100 notas fiscais no programa Nota Fiscal Gaúcha (NFG) mais 5% de desconto. Para quem quitar no mês de março é acrescido mais 1% de redução sobre o valor do tributo.

Serviço

Quem paga? Todos os proprietários de veículos automotores fabricados a partir de 1999.

Como pagar? Para quitar o imposto, o proprietário deve apresentar Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV). Junto com o IPVA, é possível pagar o seguro obrigatório (DPVAT), taxa de licenciamento e multas de trânsito.

Onde pagar? Banrisul, Bradesco, Santander, Sicredi, Caixa (loterias) e Banco do Brasil (somente para clientes).

Consultas e dúvidas: Para auxiliar os contribuintes, a Secretaria da Fazenda (Sefaz) disponibiliza um site específico sobre o imposto: www.ipva.rs.gov.br. Nele, é possível consultar todos os dados relativos aos veículos, como multas, valores a pagar e pendências. Além do site, é possível baixar o aplicativo do tributo (IPVA RS) para dispositivos móveis, disponível gratuitamente na App Store e na Google Play.

Fonte: AuOnline
+ Mais Informações ››››››

Pesquisa revela que 58% dos brasileiros não se dedicam às próprias finanças

Seis em cada 10 brasileiros (58%) admitem que nunca, ou somente às vezes, dedicam tempo a atividades de controle da vida financeira, e 17% dos consumidores, sempre ou frequentemente, precisam usar cartão de crédito, cheque especial ou até mesmo pedir dinheiro emprestado para conseguir pagar as contas do mês. O percentual aumenta para 24% entre os mais jovens. Há, também, aqueles que precisam recorrer ao crédito para complementar a renda.

Os dados, obtidos em pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em todas as capitais, mostram que a organização financeira não é uma tarefa que atrai os consumidores.

Para o educador financeiro José Vignoli, do portal Meu Bolso Feliz, uma vida financeira saudável depende do esforço de cada consumidor em buscar informação e exercitar a disciplina para incorporá-la no seu cotidiano. “Muitas pessoas poderiam, facilmente, ter acesso às informações necessárias para ter um orçamento mais equilibrado, mas não parecem conseguir. Elas pensam que dá trabalho, ou que é muito difícil manter o controle sobre as despesas, e se esquecem de que trabalhoso mesmo é encarar o endividamento e a restrição ao crédito. Lidar com o dinheiro exige disciplina e comprometimento para viver dentro da sua realidade financeira e não tomar decisões equivocadas”, afirmou Vignoli.

O mestrando Murilo Gouveia disse que espera mudar seus hábitos financeiros em breve. “Eu já fiz planilhas anos atrás, mas hoje não faço mais porque os gastos variam, e ganho muito mal, mas agora vou trocar de emprego e quero me organizar.”

Equilíbrio

Uma prova de que a vida financeira equilibrada traz mais satisfação e tranquilidade é que 56% dos consumidores ouvidos no levantamento disseram que se sentem melhor quando planejam as despesas para os próximos seis meses. O problema, novamente, é que nem sempre isso acontece na prática, porque 48% deles nunca ou somente às vezes fazem um planejamento cuidadoso dos passos a seguir para ficar dentro do orçamento nos meses seguintes. O problema surge com mais força entre os consumidores de baixa renda (classes C, D e E), com 51% de citações.

A executiva de vendas Marta Ferreira afirmou que já perdeu o controle das contas e que hoje tenta ser mais organizada. “Dedico meu tempo sempre para fazer minhas contas quando recebo, uso uma caderneta e faço minhas anotações. Antes, confesso que não fazia, mas depois que fui perdendo o controle do que pagava resolvi anotar meus gastos.”

Planejar-se para realizar um sonho de consumo também não é um hábito comum para a maioria dos consumidores. Os que estabelecem metas e as seguem à risca, quando querem adquirir um bem de mais alto valor, como uma casa, um automóvel ou realizar uma viagem, por exemplo, somam 48% da amostra. Nesse caso, o comportamento é mais frequente entre as pessoas das classes A e B, com 59% de menções. Os que nunca ou somente às vezes fazem esse tipo de esforço somam outros 48% dos entrevistados. Há ainda 38% que nem sempre têm planos.

A contabilista Iana Leite, que se definiu como "bem controlada nas finanças", só neste ano começou a juntar dinheiro para investir em um imóvel. “Este ano comecei a transferir todo mês um dinheiro fixo para uma poupança. Assim que tiver um valor, vou comprar um apartamento ou uma casa.”

Matemática

Os consumidores ouvidos no levantamento afirmaram que ter algum tipo de familiaridade com matemática e conhecimento sobre números torna mais fácil exercer controle sobre a vida financeira. Em cada 10 brasileiros, seis (61%) consideram que informações numéricas são úteis na vida financeira diária e 62% dizem que aprender a interpretar números é importante para tomar boas decisões financeiras. Porém, nem sempre essas pessoas procuram, de fato, informar-se a respeito desses temas.

A pesquisa detectou que 19% dos entrevistados não costumam prestar atenção em assuntos que envolvem números, percentual que aumenta para 24% entre os homens e 27% entre os mais jovens. Há ainda 39% que nunca ou somente às vezes calculam o quanto pagam de juros ao parcelar uma compra e 53% que fazem esse cálculo com frequência. Quando parcelam alguma compra, um terço (33%) dos entrevistados nem sempre sabem se já têm outras prestações para pagar.

“O conhecimento sobre juros é essencial para as finanças de quem parcela compras ou contrata algum financiamento. Os juros encarecem o valor total a ser pago pelo consumidor, principalmente em casos de atrasos, e se não são bem analisados e pesquisados em várias instituições, podem comprometer a organização do consumidor”, ressaltou a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

A busca de informações com especialistas também não é hábito de boa parte dos brasileiros. Apenas três em cada 10 (31%) disseram que sempre, ou frequentemente, procuram dicas de especialistas sobre gestão financeira. Além disso, somente 17% costumam participar de cursos, palestras e seminários para aprender a administrar o próprio orçamento; e 49% nunca participam dessas atividades, ao passo que 25% dizem que, às vezes, procuram esse tipo de informação.

“Hoje com a facilidade de acesso à internet, esse número poderia ser muito maior. Há uma grande oferta de conteúdo de qualidade, e gratuito em portais, vídeos e até mesmo nas redes sociais, que tratam da relação com o dinheiro de forma leve, descomplicada e aplicada às situações comuns do dia a dia”, destacou Vignoli.

Mesmo com as novas tecnologias, a professora Aline Ferraz controla as contas no papel mesmo. “Eu dedico um tempo para me organizar e uso agenda. Sou meio antiquada, anoto o que eu gasto e confronto para saber o que sobra.”

Já a empregada doméstica Eliane Neres disse que faz um controle mental das despesas e depois anota tudo. “Quando recebo o salário, anoto tudo o que já foi pago no lápis, e também não gasto mais do que ganho.”

Consumo por impulso

Parte expressiva dos entrevistados revelou que compra por impulso e toma atitudes de consumo desregradas. Quando estão fazendo compras, um terço (33%) dos brasileiros nunca, ou apenas às vezes, avalia se realmente precisa do produto, para não se arrepender depois. Além disso, 45% nunca, ou somente às vezes, conseguem resistir às promoções e comprar apenas aquilo que está planejado.

A analista de qualidade Mayara Ruda Silveira disse que é bem controlada e raramente cede às tentações. “Adoro fazer planilhas. Geralmente eu planejo os gastos antes, sou bem controlada. Uma coisa ou outra acabo comprando por impulso.”

A pesquisa mostra também que os consumidores adotam posturas desaconselháveis do ponto de vista financeiro. Por exemplo, 19% dos entrevistados consideram mais importante gastar dinheiro hoje do que guardar para o futuro, embora 77% reconheçam que, às vezes, ou nunca, se comportam assim.

Sobre pensar no futuro, a pesquisa detectou que muitos não se sentem preparados para investir. Somente 38% disseram que confiam na própria capacidade de identificar bons investimentos e 22% que desconhecem os tipos de aplicações com melhor taxa de retorno. Apenas metade (51%) da amostra sabe sempre, ou com frequência, o quanto precisa guardar todos os meses.

“Certas modalidades podem render muito mais, mas também estão sujeitas a variações e perdas mais significativas. Adequar o tipo de investimento à personalidade e à situação financeira de quem vai investir é essencial. Perfis mais avessos ao risco pedem modalidades mais conservadoras, enquanto consumidores mais ousados podem optar por investimentos mais voláteis e com maior possibilidade de retorno”, explicou a economista Marcela Kawauti.

Fonte: AuOnline
+ Mais Informações ››››››

Venda de aparelhos celulares no Brasil aumenta 9,7% em 2017

Apesar do aumento, o número representa queda de 12,5% na comparação com 2014
As vendas de aparelhos smartphones no país totalizaram 47,7 milhões de unidades em 2017. O resultado é 9,7% (43,48 milhões) superior ao registrado em 2016. Apesar do aumento, o número representa queda de 12,5% (6,8 milhões de unidades) na comparação com 2014 – até agora o melhor ano de vendas de smartphones no país. Os dados, divulgados hoje (28), são da IDC Brasil, empresa do ramo de inteligência de mercado.

“A liberação de saques das contas inativas do FGTS injetou dinheiro e ânimo ao consumidor, que vinha protelando a troca do aparelho e, com esse recurso extra na conta, foi às compras”, destacou Leonardo Munin, analista de pesquisa da IDC.

Em relação ao sistema operacional dos celulares, o resultado apresentou pouca alteração em comparação a 2016: 95,1% dos aparelhos vendidos tinham sistema operacional Android, e 4,9% IOS. Segundo a IDC, essa média se mantém desde 2014.

Já as vendas dos computadores pessoais, notebooks e máquinas de mesa somados, totalizaram 5,19 milhões de unidades, 15,3% a mais que o comercializado em 2016. A venda de tablets chegou a 3,7 milhões de unidades, 4,8% a menos do registrado em 2016.

Fonte: AuOnline
+ Mais Informações ››››››

Suspeitos de incendiarem presídio em Carazinho são levados para o regime fechado

Três presos do regime semiaberto suspeitos de serem os responsáveis pelo início das chamas que destruíram o Instituto Penal de Carazinho, no último domingo (25), foram recolhidos para o regime fechado. A decisão foi autorizada pelo juiz da Vara de Execuções Criminais Guilherme Freitas Amorim, que disse ter indícios em imagens de que o incêndio foi criminoso.

Após o incêndio, presos foram liberados para dormirem em casa pela Justiça, que alegou não ter onde deixá-los. Conforme a Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe), cinco apenados se aproveitaram da medida e não retornaram, passando agora a serem foragidos.

Foram transferidos para outras cadeias 55 presos, que agora reclamam de ficarem longe da família e, alguns, dos locais de trabalho. Outros 15 foram colocados em um espaço dentro do Presídio de Carazinho, que abrigava uma sala de aula para os detentos do regime fechado.

O diretor do presídio, Éberson Tápia de Oliveira, admite que houve reclamações de alguns detentos por causa das transferências. Alguns apenados foram levados para Santo Ângelo, distante mais de 170 quilômetros. No entanto, para ele, a ação dos próprios presos os prejudicou.

Fonte: GaúchaZH
+ Mais Informações ››››››

Agente Penitenciário da SUSEPE perde a vida em acidente na BR 285

A vítima residia em Passo Fundo e trabalhava em Carazinho
Na tarde desta quarta-feira (28), um acidente de trânsito resultou na morte de um agente penitenciário da SUSEPE na BR 285, no trecho entre as cidades de Santa Barbara do Sul e Panambi.

De acordo com o relato policial, a viatura da SUSEPE estava retornando do município de Santa Rosa, quando o veículo aquaplanou e capotou nas margens da rodovia. O agente Geson Brum da Silva, de 39 anos, acabou não resistindo e faleceu. Outros agentes penitenciários também ficaram feridos e foram socorridos.

Em nota, a SUSEPE informou que Brum estava na força tarefa que vinha realizando as transferências de presos, após o incêndio no Instituto Penal de Carazinho ocorrido no último dia 25.

Geson Brum da Silva residia em Passo Fundo e trabalhava no Presídio Estadual de Carazinho.

A Polícia Rodoviária Federal realizou o atendimento da ocorrência e a Polícia Civil irá investigar as causas do acidente.

+ Mais Informações ››››››

PC de Nonoai prende membros de quadrilha que aplica golpes na compra de veículos no RS

Os acusados utilizavam documentos falsos para a transferência dos veículos
Nesta quarta-feira (28), os agentes da Polícia Civil de Nonoai, coordenados pelo Delegado Marino Franceschi, efetuaram a prisão preventiva de dois indivíduos envolvidos em um golpe através da compra de um caminhão com cheque falsificado.

O golpe ocorreu no dia 05 de março deste ano na região metropolitana. Naquela data, a vítima anunciou o veículo para a venda no site OLX e foi procurado pelos estelionatários que integram uma quadrilha. Nas tratativas de negociação, foram assinados os documentos de transferência e o pagamento do caminhão foi feito com a utilização de um cheque. No momento em que a vítima foi descontar o cheque, descobriu que era falsificado.

Dias após, o caminhão foi flagrado no município de Nonoai, onde dois homens estavam tentando fazer a transferência no DETRAN. A Brigada Militar foi chamada, porém os estelionatários conseguiram escapar com o veículo.

Durante as investigações, os agentes da Polícia Civil identificaram que os dois moradores de Nonoai estavam ocultando o caminhão. Ao serem procurados pela polícia, eles afirmaram que iriam entregar o veículo. Porém, isso não aconteceu e o Delegado Marino Franceschi solicitou os mandados de busca e apreensão, que resultou na prisão dos acusados.

O Delegado afirma que o esquema funciona da seguinte forma: um estelionatário compra os veículos em várias cidades do estado com cheques falsos e a dupla que foi presa tinha a função de realizar a transferência, também com documentos falsificados. Outros indivíduos já estão sendo investigados.

Diante do fato, o Delegado Marino lavrou o flagrante e indiciou a dupla por receptação através do crime permanente e falsidade ideológica. Após, os dois homens foram recolhidos ao Presídio Estadual de Sarandi.

+ Mais Informações ››››››

Família morre em grave acidente na BR 386 em Victor Graeff

Na noite desta quarta-feira (28), um grave acidente de trânsito resultou na morte de uma família no Km 206 da BR 386 em Victor Graeff, no trecho entre os municípios de Tio Hugo e Santo Antônio do Planalto.

De acordo com o relato policial, uma carreta Iveco de cor azul, de placas IKB-4739 de Montenegro/RS, trafegava no sentido Tio Hugo/Carazinho, quando ao fazer uma subida estourou as mangueiras de ar e o veículo voltou para trás, ficando em formado de “L” no meio da rodovia.

Minutos depois, um Toyota Corolla de cor preta, de placas IXB-1979 de Campo Bom/RS, que também seguia em direção a Carazinho, atingiu violentamente a carreta.

Com o impacto da colisão, todos os passageiros do carro morreram presos às ferragens. Trata-se de um casal e uma menina de aproximadamente 10 anos.

As vítimas fatais ainda não foram identificadas.

O condutor da carreta não ficou ferido, porém foi encaminhado para atendimento médico ao Hospital de Soledade.

Os integrantes da Polícia Rodoviária Federal de Soledade, juntamente com os agentes da Polícia Civil de Carazinho e peritos do IGP de Passo Fundo, realizaram o atendimento da ocorrência.



Fonte: Rádio Uirapuru
+ Mais Informações ››››››

Polícia Rodoviária Federal alerta para chuvas e alto movimento no feriadão de Páscoa

O feriadão de Páscoa terá o agravante da chuva neste ano e o motorista deve ficar atento. A Polícia Rodoviária e o Batalhão Rodoviário da Brigada Militar iniciam hoje a Operação Viagem Segura de Páscoa, com expectativa de grande movimento a partir da tarde.

Em entrevista na Uirapuru, o chefe da 8ª Delegacia da Polícia Rodoviária Federal, Rodrigo Calegari, explicou que os agentes fizeram uma nova escala de trabalho para ampliar a fiscalização nas rodovias. A sexta-feira pela manhã ainda terá grande movimento e previsão de chuvas, por isso a recomendação é revisar os pneus, luzes, limpadores de para-brisa e manter a velocidade baixa para evitar aquaplanagem.

O retorno do feriado também merece atenção, com maior fluxo no domingo à tarde. Calegari alertou que o feriadão de Páscoa registra quase 7 mortes por dia no Estado, por isso a prudência e direção defensiva devem ser adotadas por todos.

+ Mais Informações ››››››

1195 - 29 MARÇO, QUINTA - TRIDUO PASCAL, QUINTA FEIRA SANTA

+ Mais Informações ››››››

Postagens que talvez você não viu!!!