segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Picolé de Baunilha com Gotas de Chocolate













Ingredientes:
1 e 1/4 xícaras de leite (desnatado)
1/3 xícara de açúcar mascavo
1 pitada de sal
1 colher de chá de extrato de baunilha
2 colheres de sopa de gotas de chocolate meio amargo
Molde para picolé
Modo de Preparo:
Em um recipiente próprio para micro ondas, de preferência em vidro, esquente o leite por 30 segundos ou até estar quente ao toque.
Adicione o açúcar mascavo e o sal, mexa até dissolver.
Só então acresente a baunilha.
Coloque 1/2 colher de sopa de gotas de chocolate no fundo de cada molde de picolé.
Cubra com a mistura feita anteriormente, insira os palitos e coloque no congelador por, pelo menos, 3 horas.
Para soltar os picolés basta passar o molde pela água morna.
Fonte:Hora do Almoço


+ Mais Informações ››››››

Expectativa de vida das gaúchas ultrapassa 80 anos, indica IBGE

A expectativa de vida das gaúchas ultrapassou os 80 anos no ano passado, de acordo com os dados da Tábuas Completas de Mortalidade do Brasil de 2013, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta segunda-feira. A esperança de vida ao nascer das mulheres chegou a 80,3 anos e a dos homens, a 73,4 anos.
A expectativa de vida do povo gaúcho em 2013 era de 76,9 anos. Em relação a 1980, quando a esperança de vida ao nascer era de 67,8 anos, houve um acréscimo de 9,1 anos. Para os homens, o aumento foi de 8,6 anos, passsando de 64,8 para 73,4 anos. Já para as mulheres, o crescimento foi de 9,3 anos, passando de 71 anos em 1980 para 80,3 anos em 2013.
Além do Rio Grande do Sul, em outros três estados e no Distrito Federal a expectativa de vida das mulheres ultrapassou os 80 anos de idade. No Espírito Santo, a esperança de vida ao nascer delas foi de 81,3 anos. Em São Paulo, foi de 80,4 anos. Em Santa Catarina, chegou a 81,4 anos e, na capital federal, 80,7 anos.
Santa Catarina tem a maior expectativa de vida ao nascer para ambos os sexos, com 78,1 anos em 2013. Foi o estado com maior esperança de vida para os homens (74,7 anos), e para as mulheres (81,4 anos).
Em relação à mortalidade infantil, a maior taxa foi observada no Maranhão (24,7 por mil nascidos vivos), e a menor em Santa Catarina (10,1 por mil). A mortalidade na infância também é maior no Maranhão (28,2 por mil) e menor em Santa Catarina (11,8 por mil). A título de comparação, vale destacar que no Japão, para ambos os sexos, a esperança de vida ao nascer é de aproximadamente 83 anos, a mortalidade infantil é de dois óbitos por mil nascidos vivos e a mortalidade na infância é de três por mil.
Fonte:Correio do Povo
Postado por:Elisete Bohrer
+ Mais Informações ››››››

Campanha para o Dia Mundial de Luta contra a Aids incentiva teste de HIV no Estado

Para marcar o 1º de dezembro - Dia Mundial de Luta contra Aids - a Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul lança uma campanha para incentivar o teste de HIV e frear o crescimento da doença entre os gaúchos. Com o conceito "desconhecimento mata mais que Aids", o objetivo da campanha é reforçar a ideia de que ignorar a doença é perigoso, pois retarda o tratamento e aumenta o risco de transmissão.
O diagnóstico precoce também é fundamental para o resultado do tratamento, além de ser decisivo para evitar a chamada transmissão vertical, quando o vírus passa da mãe para o bebê. "Embora a Aids não seja tão fatal como antes, é uma doença muito grave que provoca um grande prejuízo à qualidade de vida", explica a titular da pasta, Sandra Fagundes.
A incidência da Aids no Rio Grande do Sul é a maior do país há oito anos. Além do estímulo ao uso do preservativo - foram distribuídos mais de 33 milhões de unidades em inúmeras atividades públicas realizadas ao longo de 2014 - a estratégia do governo estadual para enfrentamento à epidemia aposta na ampliação do acesso ao teste rápido para detecção do HIV.
O exame foi implementado em 2009 no Brasil, mas só começou a ser aplicado de forma mais efetiva em solo gaúcho a partir de 2012. Este atraso contribuiu para o alto índice de contaminação do vírus no Estado, já que pelo método tradicional, o prazo de espera chegava a 30 dias e a pessoa precisava retornar à unidade básica de saúde para obter o resultado, o que provocava a desistência de muitos pacientes.
O teste rápido é seguro e sigiloso. Realizado a partir da coleta de uma gota de sangue da ponta do dedo, o resultado sai em cerca de vinte minutos e é comunicado diretamente por um profissional capacitado.
Atualmente o Rio Grande do Sul já possui uma eficiência três vezes maior neste tipo de exame que o resto do país, oferecendo o serviço em unidades básicas de saúde de 334 municípios e em 77 Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs). Cerca de 61% das pessoas que chegam a um posto de saúde em busca do teste rápido podem realizá-lo na hora.
O objetivo da Secretaria de Saúde é que o teste esteja disponível em todas as unidades básicas. O Estado também se impôs como meta testar todas as gestantes gaúchas durante o pré-natal para proteger seus bebês. As áreas de fronteira são consideradas prioritárias por concentrarem uma população de meninas alvo da exploração sexual nas estradas gaúchas.
Dados do ministério apontam redução de casos
O Rio Grande Sul contabiliza 41,3 novos casos por 100 mil habitantes, mais que o dobro da média nacional de 20,4 novos casos por 100 mil habitantes. Em Porto Alegre, este número chega a 96,2 novos casos por 100 mil habitantes, quase cinco vezes maior que o índice encontrado no restante do Brasil.
"A gravidade dos números fez com que o enfrentamento à Aids se tornasse uma prioridade para este governo", explicou a Secretária de Saúde, Sandra Fagundes.
Entretanto, os dados preliminares sobre o comportamento da doença em 2013, que devem ser confirmados pelo Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde, apontam uma redução de 1,6% nas notificações da doença. Em 2013, foram diagnosticados 4.443 novos casos contra 4.517 do ano anterior.
O esforço para impor um recuo duradouro à epidemia tem sido feito com investimentos consistentes. O Rio Grande do Sul é o primeiro Estado brasileiro que investe recursos próprios no combate à Aids.
Em 2014, foram destinados R$ 15 milhões do Tesouro Estadual aos 64 municípios que concentram 90% dos casos. O objetivo é incluir o cuidado à doença na rede de Atenção Básica de Saúde e financiar a montagem de um protocolo de atendimento capaz de apressar o diagnóstico e estimular as pessoas a manterem o tratamento.
A Secretaria Estadual de Saúde também regularizou o fluxo de repasses de recursos para organizações não governamentais que atuam na prevenção à doença e destinou R$ 5,7 milhões para atividades do setor.
Com isso foi possível reduzir em 30% a taxa de detecção de casos de Aids em menores de cinco anos entre 2012 e 2013, passando de 8,8 casos por 100 mil habitantes para 6,2 casos.
Perguntas e respostas sobre a Aids/HIV
Por que fazer o teste de HIV?
Saber do contágio pelo HIV precocemente aumenta a expectativa de vida do soropositivo. Quem busca tratamento especializado no tempo certo e segue as recomendações ganha em qualidade de vida e evita a transmissão. Além disso, as mães soropositivas têm 99% de chance de terem filhos sem o HIV se seguirem o tratamento recomendado durante o pré-natal, parto e pós-parto.
Quando fazer?
O teste é indicado para pessoas que passaram por uma situação de risco. Não deve ser feito de forma indiscriminada e a todo o momento. O exame detecta a presença de anticorpos no sangue e a infecção pode ser detectada com, pelo menos, 60 dias a contar da situação de risco, período chamado de janela imunológica.Quais são as situações de risco?
O HIV pode ser transmitido por relações sexuais desprotegidas (sem o uso do preservativo), anais, vaginais e orais; pelo compartilhamento de agulhas e seringas contaminadas e de mãe para filho durante a gestação, o parto e a amamentação. Beijo, toque, abraço, aperto de mão, compartilhamento de toalhas, talheres, pratos, suor ou lágrimas não transmitem a doença e não há risco nesses tipos de contato com uma pessoa soropositiva.
Texto: Assessoria SES/RS
Postado por:Elisete Bohrer

+ Mais Informações ››››››

Jornal da Liberdade Edição 1177 do Dia 01 de dezembro de 2014

Destaque desta edição.
Rio Grande do Sul terá segunda-feira de chuva 
Câncer de próstata deve atingir 70 mil casos este ano
Dia Mundial de Luta contra a Aids destaca importância do teste rápido
Vacina contra ebola é testada com sucesso
Afogamento é uma das principais causas de morte entre crianças, diz OMS
Expectativa de vida do brasileiro sobe para 74,9 anos
PRORROGAÇÃO: Campanha de vacinação contra pólio e sarampo segue até 12 de dezembro


Apresentado Por: Alcione Gondorek 
+ Mais Informações ››››››

Jornal dos Trabalhadores - Rio Grande do Sul - Edição 624 do dia 01 de dezembro de 2014

Ouça nesta edição:
Servidores do Detran iniciam greve nesta segunda feira;
Dia mundial de combate a violência contra a mulher é marcado em Cândido Godói.
+ Mais Informações ››››››

Postagens que talvez você não viu!!!