Nossos Parceiros

terça-feira, 16 de maio de 2017

Você sabia que soldados não podem marchar sobre pontes? Curiosidade do dia

226 soldados morreram em 1850 quando atravessavam uma ponte na França. Enquanto eles marchavam, causaram uma ressonância (vibração) muito grande na ponte, levando esta se partir. Desde então, as tropas são proibidas de marchar nas pontes.

Veja abaixo como alguns passos podem derrubar toneladas de concreto:

1. Qualquer carga que atravesse uma ponte provoca oscilações de alguns milímetros para cima e para baixo uma vez por segundo, em média.
2. Se os soldados baterem o pé uma vez por segundo, na freqüência igual à da vibração da ponte, a amplitude das ondas de oscilação aumentará até 400 vezes.
3. Se a estrutura não tiver sido projetada para resistir a essa deformação, o concreto se rompe e a ponte vai abaixo.

Tudo vibra em uma frequência natural própria, mas se algum fator fizer um objeto vibrar perto de sua frequência natural, acontecera um fenômeno chamado Ressonância, que fará com que o objeto vibre com mais intensidade, ou na linguagem científica, com maior amplitude. Um exemplo são as cantoras que gritam num tom tão agudo, que os vidros se quebram, porque a frequência da voz se equipara a do vidro. Ou até mesmo como aconteceu na ponte de Takoma (EUA), onde ventos de aproximadamente 65 km/h (nem tão fortes) entrou em ressonância com a estrutura da ponte e ela se quebrou.

Quando os soldados marcham, eles geram uma vibração. Uma tropa marchando sobre a ponte vai fazer com que sua estrutura vibre. Até aí não há grandes problemas numa ponte vibrando, mas se a vibração acontecer numa determinada frequência “especial” (a frequência de vibração natural da ponte) ela vai se potencializando a cada passo dos soldados e a vemos vibrar visivelmente e com grande amplitude, e aí ela pode sofrer danos. Como os comandantes vão saber a frequência da ponte? Eles não sabem, e por isso os soldados são instruídos a caminhar sobre pontes, para não estimular vibrações.

Entre os sites consultados está a UFJF

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens que talvez você não viu!!!

Nossos Parceiros