Nossos Parceiros

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Médico é condenado a 62 anos e 7 meses de prisão por estupros em consultório

O médico nutrólogo Omar César Ferreira de Castro, acusado de estuprar pacientes dentro de seu consultório em Florianópolis, foi condenado a 62 anos, sete meses e seis dias de prisão em regime fechado. Como mostrou o RBS Notícias desta quinta-feira (29), a sentença reconheceu a prática de sete estupros, duas tentativas de estupro de vulnerável, além de sete contravenções por molestar as vítimas.

Os crimes acontecerem entre 2008 e 2016. Omar Ferreira, de 67 anos, está preso desde março do ano passado, quando os crimes foram descobertos. Ele pode recorrer da sentença, mas a Justiça negou a possibilidade de ele fazer isso em liberdade.

O advogado de defesa do médico disse à RBS TV que não leu a sentença e não vai falar sobre o assunto nesta quinta. Ao G1, o advogado Francisco Ferreira, que representa cinco vítimas, comentou sobre a sentença: “A pena, em que pese o seu montante ter sido inferior ao desejado, serve, sem dúvida, para inibir as práticas objeto da condenação”, afirmou o advogado.

“É lamentável que um profissional que tem como missão curar e salvar vidas se valha do exercício da atividade médica, para violentar sexualmente suas pacientes”, disse Francisco Ferreira.
Prisão em clínica

“Ele me agarrou, me beijou e fez massagem à força”, contou uma das vítimas, na época com 56 anos, à RBS TV. Ela contou que os abusos ocorreram nas duas vezes em que se consultou com o nutrólogo, em janeiro deste ano. “Ele falou que eu era muito ansiosa, mandou eu ficar de costas, veio fazendo massagem no meu pescoço. Por trás ele me encostava muito”.

O inquérito da Polícia Civil foi entregue em 7 de março de 2016 ao Ministério Público. O nutrólogo era investigado desde novembro de 2015 e foi preso na clínica em que trabalhava no Centro da capital catarinense em 16 de fevereiro.

Ele foi indiciado pela Polícia Civil por 16 estupros. “São oito crimes denominados de estupro contra vulnerável e oito crime de estupro tipo comum. No total, são 38 vítimas, só que para caracterizar ao Ministério Público, conseguimos provar oito situações, mais outras oito situações distintas”, afirmou o delegado Ricardo Thomé à RBS TV, na época do indiciamento. Castro continua detido preventivamente no Presídio Masculino de Florianópolis.
70 consultas por dia

“Ele se declara anestesiologista, endocrinologista e nutrólogo. A informação que temos é de que chegava a atender 70 consultas ao dia. Era muito procurado por mulheres que queriam emagrecer com uso de medicamentos como sibutramina”, afirma Francisco Ferreira, advogado de algumas da vítimas.

Uma das mulheres que fez denúncia contra ele chegou a relatar que foi dopada e estuprada na maca do consultório, informou o advogado da vítima.

Em maio de 2016 Conselho Regional de Medicina de Santa Catarina (CRM-SC) decidiu impedir, por pelo menos seis meses, que o nutrólogo exerça o ofício. Em dezembro, o impedimento foi renovado. 
Fonte: G1/SC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens que talvez você não viu!!!

Nossos Parceiros