Nossos Parceiros

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Presos envolvidos em rebelião com 2 mortos no RS serão transferidos

A confusão teria começado por conta de uma briga entre famílias dos presos. Transferências devem começar ainda nesta sexta-feira, afirma a Susepe.

Familiares de presos fazem vigilia em frente ao Presídio Estadual de Sarandi (Foto: Fabio Lehmen / RBS TV)
A Superintendências dos Serviços Penitenciários (Susepe) deve começar a transferir a partir desta sexta-feira (3) os detentos envolvidos na rebelião que deixou dois mortos no Presídio Estadual de Sarandi, no Norte do Rio Grande do Sul. Por conta da situação, a segurança foi reforçada no local.
A rebelião assustou os moradores dos arredores do presídio, localizado na cidade de pouco menos de 20 mil habitantes. Em uma casa em frente ao presídio, moram 12 crianças com medidas protetivas.
“Quando nós percebemos que estava pegando fogo, a primeira coisa que fizemos foi fechar todas as portas e levar as crianças para o porão, e ficamos lá. Meu medo era de uma bala”, relata a coordenadora da Casa de Assistência a Crianças, Maria Elisabete Tomasi.
A briga entre os presos começou na noite de quarta-feira (1º), e por volta das 7h de quinta-feira (2) o desentendimento teve início novamente. Vídeos de dentro da penitenciária postados em uma rede social mostram detentos no pátio, sendo que alguns estavam armados, encapuzados e com reféns.
Promotores, juízes e integrantes da pastoral carcerária foram chamados para mediar o conflito. Colchões foram queimados o que fez com que a rede elétrica e o corredor fossem danificados pelas chamas.
Policiais de cidades vizinhas e do Batalhão de Operações Especiais da Brigada Militar foram destacados para Sarandi para ajudar a controlar a situação.
Os detentos mortos foram identificados como Alex Francisco do Nascimento Costa, de 37 anos, e Angelin Adílio Carvalho, de 40 anos.
“Não temos o informe de envolvimento com facções. O que se tem é uma briga entre famílias, e é o que está sendo apurado nos procedimentos que estão sendo instaurados para apurar as mortes. Vai acontecer o inquérito policial, e um procedimento administrativo disciplinar, que essas questões vão ser elucidadas”, afirma o delegado regional penitenciário da 4ª Região, Rosálvaro Portella.
Na tarde de quinta, agentes da Susepe e o comando da Brigada Militar definiram aumento do efetivo que faz a segurança do presídio até que a situação seja controlada. A superintendência ainda analisa quais presídios devem receber os detentos de Sarandi.

Fonte:G1RS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens que talvez você não viu!!!

Nossos Parceiros